Uma funcionária pública que trabalha para a prefeitura Municipal de Uberlândia foi presa acusada de “tentativa de compra” da Carteira Nacional de Habilitação, a CNH.

Assim como em vários outros municípios do Triângulo Mineiro, a prática de “facilitação” para aquisição da CNH também é constante em Uberlândia. Os alunos incapacitados de conduzir um veículo em vias públicas recorrem aos instrutores corruptos de algumas auto-escolas e pagam para ter facilidade no momento do exame e foi o que aconteceu com a bibliotecária, de 47 anos, moradora de Uberlândia, que após ser orientada pelo instrutor da auto escola, levou R$ 300,00 na bolsa no dia do exame de rua.

No entanto, o instrutor teria sofrido um acidente impossibilitando-o de comparecer ao exame, motivo que levou a funcionária pública a perguntar para o examinador para quem deveria ser entregue a quantia. O examinador então deu voz de prisão em flagrante.

Continua após a publicidade

“Não é um caso isolado. São os instrutores que induzem e oferecem essa facilidade para os candidatos, que acreditando que pagaram ao examinador, ficam tranqüilos e podem até mesmo ser aprovados no exame”, diz Adriana Ladeira, delegada.

A delegada afirmou que será aberto um inquérito policial em desfavor do instrutor e um pedido de cassassão de sua licença.


Comments are closed.