Seis meses após o desaparecimento do agricultor Juneo Ueda Tano, nenhum vestígio do jovem que se casaria no dia 04/09 com Ana Cláudia da Silva Mendes, acusada de participação no seqüestro.

A equipe do DEOESP manteve atividades no pontal do triângulo por quatro meses, auxiliando no encerramento do  inquérito de mais de seiscentas páginas.

Ana Cláudia da Silva Mendes e o amante, Inácio da Silva Freitas foram acusados de extorsão, seguida de  seqüestro com resultado morte e continuam detidos no presídio de Ituiutaba.

Continua após a publicidade

A população pede respostas, as autoridades não conseguem resolver e resta apenas a grande dor para a família.

Recentemente Ana Cláudia cedeu uma entrevista exclusiva a uma tv local e disse que está sofrendo muito por um crime que nãoo cometeu.

Ao aceitar a proposta de delação premiada, o advogado de Ana Cláudia abandonou o caso. No momento de assinar adelação premiada, um advogado desconhecido foi convocado pela polí­cia, afirma Ana Cláudia. A versão foi confirmada pela TV e em entrevista, o advogado Osvaldo Nogueira disse que foi convocado a cerca de um mês por volta de 20h para acompanhar um delação premiada, não chegando a receber os honorário advocatícios.

Ana Cláudia encerra a entrevista dizendo que foi torturada durante todo o depoimento.


Comments are closed.