blank

Um caso está chocando a pequena cidade de Guarará, na Zona da Mata Mineira. Guarará tem 3.900 habitantes.

Parentes e amigos de Hélio Xavier que morreu nessa terça-feira (15) desconfiam que ele ainda estava vivo durante o velório. Hélio passou mal em casa no último sábado (11/12) e foi levado para o hospital de Bicas, cidade vizinha, onde recebeu medicação, mas veio a óbito na madrugada de domingo.

O atestado de óbito afirma que a causa foi parada cardiorrespiratória e insuficiência hepática. O médico Enaldo Rezende, que assina o atestado, diz que adotou os procedimentos de rotina para constatar a morte.

O corpo de Hélio Xavier foi levado para a Capela Mortuária Nossa Senhora Rosa Mística, em Guarará.

CCAA Capinópolis

Ao velar o corpo, parentes e amigos estranharam a temperatura do corpo, que ainda estava quente. O corpo de Hélio Xavier foi levado de volta para o hospital. O médico Tadeu Abdo de Souza fez o exame dentro do próprio caixão.

O médico orientou os parentes a fazer a necropsia para confirmar a causa e a hora da morte. Mas a família não quis e enterraram Hélio sem saber o que de fato aconteceu. De acordo com a médica legista Dalva lima, o corpo humano demora até 12 para esfriar. Os parentes começaram a desconfiar que Hélio estaria vivo sete horas depois. Mas os especialistas afirmam que somente uma necropsia pode confirmar se, de fato, ele estava vivo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui