Ex-alunos lucram com jogo para celulares em Uberlândia

Estudantes desenvolvedores de games

Um grupo de seis ex-alunos do curso de Ciências da Computação da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) apresentou, neste mês, o primeiro jogo de computador desenvolvido na cidade para o sistema operacional Android (plataforma de computador desenvolvida para dispositivos móveis, como smartphones e tablets). Com o jogo, que já teve 20 mil downloads desde que foi disponibilizado, no dia 27 de julho, os idealizadores ganham, em dólar, com publicidade.

O jogo, batizado de “Wrecking Baller”, significa “bola demolidora”. Cerca de 40% dos downloads são feitos por usuários dos Estados Unidos. O jogo tem 90% de aprovação das pessoas que o utilizam. O projeto é patrocinado pela empresa de Uberlândia Neppo, que atua na área de tecnologia da informação, e custou cerca de R$ 50 mil. O aplicativo (Apps) está disponível gratuitamente na página da Android Market, na qual estão mais de 200 mil Apps gratuitos.

O grupo trabalhou seis meses no desenvolvimento do jogo. Um dos sócios, Igor Zanotto, de 25 anos, afirma que essa é a primeira de uma série de aplicativos que serão criados. “Trabalhamos na criação de um novo jogo educativo envolvendo ecologia e reciclagem”, disse.

O jogo tem cenário de uma cidade virtual em que o objetivo é destruir o maior número de imóveis para somar pontos e completar fases que vão aumentando a dificuldade do jogo. No ranking de pontuação, são subtraídos pontos para o jogador que destruir estruturas de hospitais, escolas e outros.

PUBLICIDADE

O grupo de seis cientistas que se conheceram no curso de Ciências da Computação da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) fundou a empresa Aevum, logo após a formatura no fim do ano passado. A equipe tem, em média, 25 anos de idade e já planeja novos investimentos na criação de aplicativos para o sistema operacional Android (plataforma de computador desenvolvida para dispositivos móveis, como smartphones e tablets).

O jogo que criaram, o primeiro do tipo feito em Uberlândia, já teve mais de 20 mil downloads. O retorno vem de anúncios publicitários que, ao longo do jogo, aparecem no cenário virtual, em forma de links disponibilizados pela empresa Google, criadora do sistema Android. Cada clique que o usuário der em um desses anúncios, a empresa idealizadora do jogo recebe um determinado valor cotado em dólar.

De acordo com Igor Zanotto, um dos sócios, em média, 2% das partidas acionadas no game recebem cliques. “Hoje, cada clique rende a partir de US$ 0,03”, disse. O grupo já analisa também a possibilidade de incluir anunciantes no layout dos próximos jogos.

Para baixar o jogo Android Market – gratuito

Acessar o site Market.android.com
Média de downloads
15 dias
20 mil

Reportagem de Luiz Otavio Petri 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

O perigo fica ao lado: Rodovia MGT-226 é sinônimo de perigo no perímetro urbano

Bissexuais reclamam que são discriminados por héteros e gays