blank
divulgação

O cantor Wando morreu nesta quarta-feira, aos 66 anos, em decorrência de infarto seguido de uma parada cardíaca, confirmou a assessoria do hospital Biocor.

Com problemas cardíacos graves, o artista mineiro deu entrada no dia 27 de janeiro no Biocor, em Minas Gerais, onde estava internado desde então.

Ele foi submetido a um cateterismo (exame para diagnosticar obstrução de veias ou artérias) na manhã de sexta-feira, e os médicos decidiram fazer uma cirurgia de revascularização do miocárdio.

Na madrugada de sábado, no entanto, o cantor apresentou quadro de angina refratária, o que significa que ele não estava reagindo ao tratamento. Por isso, passou por uma angioplastia de múltiplas artérias de emergência.

CCAA Capinópolis

O procedimento é feito com um cateter que tem um pequeno balão e uma espécie de mola usada para “abrir” a artéria (“stent”).

BIOGRAFIA

Mineiro de Cajuri, Vanderley Alves dos Reis nasceu em 2 de outubro de 1945. Ainda pequeno, mudou-se para Juiz de Fora, antes de partir para o Estado do Rio de Janeiro, onde construiu sua carreira.

Em Volta Redonda (RJ), Wando –apelido dado por sua avó– trabalhou como motorista de caminhão e feirante. Naquela época, já se dedicava ao violão e tocava em grupos de bailes locais.

Em 1973, foi descoberto por Nilo Amaro. Com ele compôs “O Importante é Ser Fevereiro”, canção gravada por Jair Rodrigues, que também deu voz a outra de suas canções, “Se Deus Quiser”. Roberto Carlos, Ângela Maria e Originais do Samba também interpretaram letras de Wando.

No mesmo ano, lançou seu primeiro compacto, com a música “Maria, Mariá”, e seu primeiro álbum, “Glória Deus No Céu e Samba na Terra”.

Mas foi em 1974, com o disco “Moça”, que conheceu o sucesso –vendeu 1,2 milhão de cópias. Ao lado da faixa título desse segundo trabalho, “Fogo e Paixão”, do disco “O Mundo Romântico de Wando” (1988), está entre os maiores hits do cantor.

Wando fez do romantismo sua marca registrada. Símbolo da música brega brasileira, falava de amor, mulher e sexo em suas letras, e tornou-se conhecido por colecionar calcinhas de fãs.

Seu último disco de inéditas, “Romântico Brasileiro, Sem Vergonha”, foi lançado em 2005

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui