Marcada para acontecer na noite de domingo (26), em uma casa de shows de Uberlândia, a  terceira etapa do Circuito Open Fight de MMA foi cancelada. Cerca de 200 pessoas que estavam no local e esperavam pelas sete lutas prometidas tiveram que voltar para casa e se contentar com uma expectativa frustada. A equipe Team Nogueira enfrentaria a equipe de Uberlândia a partir das 18h.

mma

Segundo um dos apoiadores do evento, o professor de lutas marciais Alessandro Leal, o circuito não aconteceu devido a um golpe dado pelo organizador, conhecido por Renato . “Nada do que prometeu ele cumpriu. Seis atletas da academia onde trabalho iam lutar no evento. O organizador contratou os nossos serviços, mas não fez o pagamento”, disse.

O prejuízo de Leal chega a R$ 17 mil reais. Segundo ele, é lamentável um acontecimento como esse. “O organizador nos procurou com cerca de dois meses de antecedência para no final de tudo se transformar em uma desorganização. O que aconteceu deixou os atletas sem chão e tristes por não terem lutado”, afirmou o professor.

Continua após a publicidade

Ainda de acordo com Leal, os seis atletas do time dos irmãos Nogueira (Team Nogueira) vieram para Uberlândia e também foram lesados pelo organizador. “Fiquei sabendo que os atletas chegaram a receber em cheque, mas que antes da luta o pagamento havia sido cancelado.”

Um dos patrocinadores do evento soube do cancelamento do Circuito horas antes do horário marcado e, na companhia de seu sócio foi conferir o que tinha acontecido. “Eu estava em um shopping da cidade quando recebi a notícia do cancelamento. Eu e meu sócio fomos até o local do evento e quando chegamos lá percebemos que não havia nenhuma estrutura montada, apenas o local alugado. O octógono não chegou sequer a ser montado”, disse o empresário que preferiu não ter o nome revelado.

O empresário patrocinou o Circuito em R$ 6 mil. “O organizador nos procurou dizendo que o evento seria ‘o evento’. Falou das inserções de publicidade na mídia, da confecção de camisetas e da importância e visibilidade que o evento traria para a nossa empresa. Todo o prometido não foi feito”, disse.

No domingo, quando o empresário e o sócio dele chegaram ao local da luta encontraram Rogério Minotouro, lutador consagrado que participaria do Circuito. De acordo com o empresário ao saber do ocorrido, Minotouro não escondeu a decepção e, colocando as mãos na cabeça, disse várias vezes: “Isso não é coisa que se faz.”

Público, patrocinadores e apoiadores do evento acionaram a Polícia Militar (PM), que compareceu ao local e registrou o Boletim de Ocorrência (BO). Ainda não se sabe qual o prejuízo causado e número de pessoas lesadas pelo organizador. Estima-se que o golpe tenha ultrapassado R$ 140 mil. O suspeito de estelionato não foi encontrado pela PM.

Manifestação nas Redes Sociais

Na página do evento no Facebook, vários internautas expuseram sua indignação com o Circuito Open Fight de MMA. O evento que era para ter acontecido no domingo foi impedido por um golpe. Os valores cobrados para assistir às lutas (de R$ 20 a R$ 80) não foram devolvidos.

Uma internauta disse: “Infelizmente por conta de empresários caloteiros, nossa cidade que tenta conquistar o seu espaço no esporte brasileiro, mais uma vez sofre e tem seu nome jogado na lama…”

Outros comentários também foram parar na página do evento. “Que Absurdo”, “Melou” e “Não vai acontecer” são alguns deles.


Comments are closed.