Boa Esporte reafirma interesse no goleiro Bruno, suspeito do sumiço da ex-amante Eliza Samúdio

divulgação

O ex-goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes das Dores de Souza, de 28 anos, pode ser julgado em liberdade pelo sumiço da ex-amante Eliza Samudio. Um novo pedido de habeas corpus para tentar mudar os rumos da carreira do atleta será analisado, no próximo dia 27, pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). A ação está sustentada em uma proposta que o jogador recebeu para retornar aos gramados.

O Boa Esporte Clube, de Varginha, no Sul de Minas, estaria interessado em contratar o jogador para disputar o Campeonato Mineiro e a Série B do Brasileirão 2013. O Hoje em Dia teve acesso, com exclusividade, à proposta que confirma o intenção da equipe em contratar Bruno.
No documento, assinado no fim do ano passado pelo presidente do clube, Rone Moraes da Costa, o time de Varginha deixa explícito o interesse em firmar contrato de trabalho com o jogador. Diz ainda que vai integrar Bruno ao elenco de atletas profissionais, assumindo todas as responsabilidades, assim que o alvará de soltura for concedido.
Argumentações
Segundo o advogado Lúcio Adolfo, que encabeça a defesa do atleta, o novo pedido de habeas corpus tem argumentos diferenciados dos anteriores, que pretendiam colocar o acusado em liberdade até o julgamento, previsto para o dia 4 de março.
Dessa vez, a medida tem por objetivo conceder ao detento substituição de regime, que passaria de prisão preventiva para domiciliar. Nesse caso, Bruno não ficaria encarcerado. Além disso, ele se comprometeria a comparecer periodicamente em juízo, no prazo e nas condições determinados pela Justiça.
Bons antecedentes
O defensor diz ainda que o novo pedido tem grande possibilidade de ser concedido, pois o goleiro é réu primário, tem residência fixa e já entregou o passaporte, demonstrando que não pretende fugir do país.
Porém, o principal ponto da nova argumentação da defesa é o de que o réu é pai de três filhos e tem o direito de trabalhar para gerar o sustento da família.
O atleta está fora de atividade desde 2010, quando foi preso e acusado de ter comandado a trama que resultou no desaparecimento de Eliza Samudio, considerada morta pela Justiça.

Diretor do clube nega ter assinado documento

Embora o documento conseguido com exclusividade pelo Hoje em Dia comprove que Bruno recebeu uma proposta do Boa Esporte, o presidente da equipe de Varginha, Rone Moraes, afirma que não assinou nenhuma declaração.

“Nunca dei, nem assinei nenhuma declaração para ninguém. Nem falada, muito menos escrita”, informou o mandatário, por meio de sua assessoria de imprensa.

Segundo ele, o Boa Esporte não tem interesse em contar com o ex-goleiro do Flamengo. “Não houve contato do Boa Esporte com o Bruno em nenhum momento”, completou.

No início da tarde deste sábado, a diretoria do clube divulgou uma nota de esclarecimento, assinada pelo mandatário do Boa, Rone Moraes, desmentindo o que havia sido dito anteriormente e confirmando o interesse na contratação do goleiro. Leia, abaixo, a íntegra da nota:
“Considerando a repercussão da reportagem publicada na edição de hoje do Jornal “Hoje em Dia”, de Belo Horizonte, MG, o Boa Esporte Clube vem a público esclarecer que, ao contrário do que foi divulgado na matéria em questão – provavelmente por um erro de comunicação da assessoria e da diretoria do clube – tem sim interesse na contratação do atleta Bruno Fernandes das Dores de Souza, desde que, conforme já informado ao dr. Tiago Lenoir (advogado do atleta, que foi quem conduziu em nome do jogador, junto à diretoria e ao departamento jurídico do Boa Esporte Clube, as tratativas iniciais relativas a este assunto): (I) não exista óbice legal para tanto, em especial quanto à sua liberdade de ir e vir, imprescindível para os treinos, jogos, concentrações e viagens que fazem parte da rotina de trabalho de um atleta profissional de futebol e (II) obviamente haja acordo entre o jogador e o clube no que se refere às condições negociais do respectivo contrato de trabalho que deverá ser assinado e registrado junto à Confederação Brasileira de Futebol (CBF).
Varginha, 23 de fevereiro de 2013.
Boa Esporte Clube
Rone Moraes da Costa – Presidente”
Prejuízo
Bruno está preso desde julho de 2010. No fim do ano passado, seu contrato com o clube rubro-negro foi vencido e a equipe da Gávea, que até havia cogitado estender o vínculo, optou por não renová-lo. Na prática, Bruno não tinha mais ligação com o Flamengo há tempos. Isso porque o goleiro não recebia salários por estar impossibilitado de exercer a profissão, desde quando foi decretada a sua prisão.

As perdas do goleiro são consideráveis. Antes de ser preso, Bruno chegou a revelar que havia assinado um pré-contrato com o Milan, da Itália, com salários que poderiam chegar a R$ 500 mil, fora as luvas que receberia pela transferência, cujo valor chegaria a de R$ 4,2 milhões.

(Atualizada às 15h11)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ladrões arrombam caixa eletrônico de agência bancária em Capinópolis. Uma moeda foi utilizada para travar porta

10 super dicas de sexo para mulheres casadas