Presidente argentina é vetada no funeral de Thatcher

O governo britânico, após um pedido expresso pela família da ex-primeira-ministra britânica Margaret Thatcher, vetou a presença da presidente Argentina Cristina Kirchner, e de qualquer funcionário deste país, ao funeral da ex-premier previsto para a próxima quarta-feira (17).

Até a presidente Argentina foi vetada

Mark e Carol Thatcher proibiram a presença de qualquer argentino na cerimônia religiosa, que será celebrada na Catedral de St. Pauls, no centro de Londres.

O governo britânico enviou hoje 2 mil convites para o funeral. Entre os convidados à cerimônia estarão a rainha Elizabeth II da Inglaterra, seu marido Felipe, duque de Edimburgo, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, os ex-premiers britânicos Tony Blair e Gordon Brown, como também dignitários de muitos países do mundo.

Entre os convidados de honra está a ex-Secretária de Estado norte-americana Hillary Clinton, e ex-presidente da África do Sul sob o apartheid, Frederik Willem de Klerk.

O serviço religioso contará com 700 membros das três Forças Armadas britânicas, em reconhecimento pela vitória militar sob o governo da Thatcher na Guerra das Malvinas (1982).

A Dama de Ferro não terá um funeral de Estado, como tinha acontecido com o ex-primeiro-ministro Winston Churchill em 1965, ela receberá “todas as honras militares” e contará com o mesmo status da Rainha mãe e da princesa Diana.

O funeral acontecerá sob uma forte operação policial, chamada “Operação True Blue”, diante do temor de ataques de organizações como o já desarmado Exército Republicano Irlandês (IRA) ou grupos de extrema esquerda.

Nesta quinta-feira foi informado que as cinzas de Thatcher serão enterradas junto as de seus marido Denis no cemitério do Royal Hospital em Chelsea, no oeste de Londres.(ANSA)

Jornal Tudo em Dia efetua mudanças em sua marca

Prefeito de Ituiutaba reúne secretários e avalia os 100 dias de seu governo