Dnit admite rever tráfego de carretas no perímetro urbano de rodovias em Uberlândia

 

O superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) em Minas Gerais, José Maria da Cunha, admitiu que poderá rever a portaria que proíbe o tráfego de caminhões com peso bruto total acima de 23 t no perímetro urbano das BRs 050, 365 e 452 em Uberlândia. A determinação está prevista para entrar em vigor no início de maio.

 

O superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) em Minas Gerais, José Maria da Cunha, admitiu que poderá rever a portaria que proíbe o tráfego de caminhões com peso bruto total acima de 23 t no perímetro urbano das BRs 050, 365 e 452 em Uberlândia. A determinação está prevista para entrar em vigor no início de maio.

Caminhões pesados não poderão trafegar no perímetro urbano

 

“O Dnit não é inflexível, a portaria pode ser reestudada e quem sabe haja uma proposta melhor”, afirmou José Maria da Cunha. O superintendente disse que irá se reunir novamente com o empresariado e representantes da prefeitura no início da próxima semana para estudar uma proposta concreta. Enquanto isso continua valendo a atual portaria.

Na última sexta-feira, José Maria Cunha esteve reunido com entidades de classe, empresários e representantes da prefeitura, quando ficou decidida uma agenda com prazo de dez dias para que seja apresentada uma proposição. “Vamos nos reunir novamente para achar uma boa solução para todas as partes”, afirmou. Ele acrescentou que é preciso incentivar o uso do Anel Viário existente e preservar o tráfego dentro da cidade.

Prejuízos

O empresário Luiz Henrique Rodrigues de Araújo, proprietário do Posto da Matinha, às margens da BR-050, no bairro Tibery, na zona leste, informou que, na última reunião, com o superintendente do Dnit ficou decidido que a portaria seria revista e que seria apresentada uma proposta para a instalação de radares, redutores de velocidade e sinalização com orientação para o tráfego no Anel Viário. Luiz Henrique acrescentou que, caso a proibição aconteça, haveria uma redução de até 80% na venda de óleo diesel em seu estabelecimento, tendo em vista que a maioria dos veículos que ele atende são caminhões com peso bruto acima de 23 t. Já o gerente do Posto Planalto, na mesma rodovia, Rogério José de Souza, prevê queda no seu faturamento de 60%, o que poderá provocar um corte de 50% no seu quadro de funcionários.

Dez postos de combustíveis instalados no perímetro urbano de Uberlândia estão nas margens das BRs 050, 365 e 452.

O presidente da Cocal Transportes e Alimentos, José Henrique Guimarães, disse que a portaria do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), que proíbe o tráfego de caminhões com peso bruto acima de 23 t, no perímetro urbano das BRs 050, 365 e 452 em Uberlândia “é impossível de ser cumprida”. Para ele, “a decisão foi precipitada e não tem como vigorar uma vez que os caminhões que transportam mercadorias e os que têm garagem na cidade não têm como não circular”.

Com uma empresa localizada no bairro Tibery, zona leste da cidade, o empresário sugeriu que a proibição se restrinja aos caminhões em trânsito, que podem trafegar pelo Anel Viário sem precisar passar pelo perímetro urbano.

O presidente do Sindicato das Indústrias de Arroz no Estado de Minas Gerais (Sindarroz), Jorge Tadeu de Araújo Meirelles, afirmou que “o Dnit precisa criar uma solução que não dê problemas para o setor de transportes e beneficiamento de arroz”. Ele pediu a instalação de um posto policial no Anel Viário.

Comissão se reúne com procurador federal da República

Ontem, numa reunião realizada na Associação Comercial e Industrial de Uberlândia (Aciub), os empresários que se veem afetados pela portaria do Dnit discutiram o assunto, acompanhados dos secretários municipais Alexandre Andrade, da Secretaria de Trânsito e Transportes (Settran); Paulo Romes Junqueira, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, e do vice-prefeito Paulo Vitiello, que demonstraram disposição em colaborar para que se encontre uma alternativa para o caso. Na reunião, os representantes da Prefeitura também demonstraram interesse em ajudar na implementação das melhorias por meio de uma parceria com o Dnit.

Pelo que apurou a reportagem do CORREIO de Uberlândia, a ideia é prorrogar a entrada em vigor da portaria, que restringe o tráfego de caminhões acima de 23t, prevista para o dia 3 de maio. Isso, para que seja possível promover ações de educação de trânsito e realizar melhorias na sinalização, entre outros.

Hoje, às 17h, uma comissão de empresários de Uberlândia, acompanhados por representantes do Executivo, irá se reunir com o procurador federal da República, Cléber Eustáquio Neves. O objetivo é encontrar uma proposta alternativa para que se promova melhoria da segurança no trânsito no perímetro urbano das BRs 050, 365 e 452, que cortam a cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Vídeo: Pastor evangélico deixa palavra de repúdio contra o casamento homossexual. Qual a sua opinião sobre o assunto?

Deputado Romão consegue quatro veículos para o setor de saúde em Ituiutaba