Carlos Roberto Fandin recorrerá da decisão em liberdade

UBERLÂNDIA, TRIÂNGULO MINEIRO – Carlos Roberto Fandin, 39 anos, acusado de matar a sogra e o enteado de 12 anos em 2008 foi condenado a 28 anos de prisão.

O julgamento aconteceu na tarde desta segunda-feira (4) durante o mutirão do Tribunal do Júri em Uberlândia e durou mais de quatro horas.

Fandin, que chegou a ficar preso 135 dias na época e hoje mora no Pontal do Triângulo Mineiro, conseguiu o direito de recorrer da decisão da juíza da vara cível, Soraia Brasileiro Teixeira, em liberdade.

Continua após a publicidade

O acusado saiu do tribunal do júri no Fórum de Uberlândia acompanhado do advogado Adriano Parreira. “Ele respondeu todo o processo em liberdade e compareceu ao tribunal mesmo morando em outra cidade. Tudo isso dá a ele o direito de aguardar em liberdade”, disse.

RELEMBRE O CRIME

O crime aconteceu na madrugada no dia 15 de dezembro de 2008 no apartamento onde as vítimas moravam. A sogra Heloísa Helena Rodrigues Peres da Silva e o neto Douglas Peres Fleury foram encontrados mortos por volta das 13h30 do mesmo dia pelo filho de Heloísa Helena.

Segundo a perícia, as vítimas foram mortas por asfixia com uma corda e ainda teriam sido agredidas diversas vezes na cabeça. Segundo a Polícia Civil, as investigações apontaram para Fandin, devido às recentes brigas entre ele e a sogra.

Durante as investigações a perícia também encontrou ferimentos nas mãos de Fandin, que indicava ter havido luta corporal com outra pessoa. Dias depois, o acusado confessou ter praticado os crimes. “Ele fala que não se lembra muito bem do que aconteceu”, disse o advogado.

Reportagem de Renata Tavares


Comments are closed.