Ademar Carvalho Leite

O delegado da Polícia Civil (PC) de Uberlândia, Ademar Carvalho Leite, chefe do setor de Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretrans) entrará em férias depois de ser preso em flagrante, na noite de quarta-feira (20), suspeito de embriaguez ao volante e resistência a prisão. Ele danificou um carro estacionado em posto de combustíveis na rua Tomazinho Rezende, bairro Daniel Fonseca, setor central da cidade e deu um tapa em um policial militar que atendia a ocorrência. Leite pagou fiança de R$ 2 mil e foi liberado na manhã desta quinta-feira (21).

Segundo o delegado chefe do 9º Departamento da PC, Samuel Barreto, a sindicância contra Leite e se será ou não afastado serão definidos pela delegada regional Márcia Pussoli. “O delegado tem duas férias acumuladas e deve usufruir delas depois deste acontecimento.” Além disso, o policial, que trabalha no Estado, segundo Barreto, há 35 anos, têm 26 anos de atuação na PC e já solicitou aposentadoria podendo se afastar de suas atividades a qualquer momento.

Em nota a assessoria da Secretaria de Estado de Defesa Social afirmou que se isso não ocorrer, Barreto deverá designá-lo para outra titularidade que não a da Delegacia de Trânsito.

Continua após a publicidade

A carteira de habilitação do delegado foi removida durante a prisão e devolvida provisoriamente até que o procedimento administrativo termine. Se comprovada a embriaguez, ele terá o documento suspenso por 12 meses por ser a primeira vez que comete esta infração. “Sem nenhum antecedente criminal o delegado cometeu um erro e responderá por ele como determina a lei”, disse Barreto. O inquérito que investiga o caso deve ser finalizado em 30 dias.

O delegado chefe da PC em Uberlândia, Samuel Barreto, disse que o delegado Ademar Leite negou os fatos do boletim de ocorrência (BO) feito pelos militares que estiveram no loca. O documento diz que Leite teria batido no veículo estacionado no posto e se identificado como delegado aos militares. Enquanto eles verificavam como proceder, Leite desceu do carro, “cambaleante” foi até um dos policiais e o atingiu com um tapa no rosto. Segundo o BO, foram constados indícios de embriaguez, como olhos vermelhos e hálito etílico.

Barreto disse que Leite negou os fatos do BO. Em depoimento, ele teria dito que saiu da Ciretrans e ia para casa quando próximo ao posto foi fechado por um caminhão e o pneu de seu carro estourou. Neste momento entrou desgovernado no local e atingiu o veículo estacionado. Leite se negou a fazer o teste do etilômetro, mas foi encaminhado à unidade de saúde para exames.

Fonte: Correio de Uberlândia


Comments are closed.