SÃO PAULO – Uma pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia (UCLA) para tratamento de epilepsia por meio de

Tratamento de pacientes com eletrodos e estímulos elétricos
Tratamento de pacientes com eletrodos e estímulos elétricos

estimulação externa do nervo trigêmeo levou o hospital do Coração (HCOR) de São Paulo a desenvolver testes contra a depressão. O primeiro implante ocorreu na última Quarta-feira (21).

A pesquisa realizada pela UCLA apontou que os pacientes que receberam o tratamento com eletrodos externos tiveram melhoria significativa no humor.

Continua após a publicidade

Os eletrodos são implantados na região da testa e ligados a um marca-passo. O objetivo é estimular o nervo trigêmeo, que confere sensibilidade à face e é uma via importante de acesso ao cérebro, de acordo com a neurocirurgiã Alessandra Gorgulho, uma das responsáveis pela pesquisa.

Os pacientes que participarão do experimento – 20 no total – têm depressão moderada refratária, ou seja, não responderam ao tratamento convencional, baseado em drogas e psicoterapia.

O aparelho marca-passo é implantado cirurgicamente abaixo da axila do paciente e envia estímulos elétricos para o eletrodo implantado na testa, também por meio cirúrgico.

Caso o tratamento seja bem sucedido, pacientes que não respondem ao tratamento com drogas convencionais, podem ter uma esperança de viver uma vida normal.

A depressão é um estado de humor com aversão à atividades que podem afetar os pensamentos, comportamentos, sentimentos e sensação de bem-estar do portador.


Comments are closed.