BC tem hoje 23% menos funcionários do que nove anos atrás

Sede do Bacen no DF; instituição tem hoje 23% menos funcionários do que há nove anos
Sede do Bacen no DF; instituição tem hoje 23% menos funcionários do que há nove anos

O Banco Central enfrenta um “apagão” de funcionários. Nos últimos nove anos, a instituição perdeu pouco menos de um quarto do seu quadro atual de servidores.

Muitos técnicos do BC se aposentaram e não são substituídos. Com as contas públicas deterioradas pelo excesso de gastos e pela queda na arrecadação, o governo Dilma não tem espaço para reforçar as contratações.

Na semana passada, o BC recebeu 250 novos técnicos, totalizando 4.140 servidores. Mesmo com o reforço, o banco tem hoje 952 funcionários menos que os 5.092 registrados em 2005 –queda de 23%.

O BC exerce algumas funções vitais para a economia, como estabelecer a taxa de juros e fiscalizar os bancos. Seus funcionários precisam ser altamente qualificados.

Segundo Daro Piffer, presidente do Sinal (Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central), o BC vem reduzindo sua área administrativa, mas já há falta de funcionários para fiscalização.

Em nota enviada à reportagem, o BC informou que “qualquer redução da força de trabalho implica risco de perda de conhecimento” e “que vem racionalizando seus processos de forma compatível com o efetivo de servidores que dispõe”.

A legislação estabelece um quadro de 6.470 servidores para o BC, mas esse número não é alcançado desde meados da década de 90.

Em 2005, o banco identificou um problema de evasão de talentos, já que mais de 50% de sua força de trabalho teria direito a se aposentar nos próximos cinco anos.

Foram realizados concursos, mas com número de funcionários inferior ao necessário. Na última seleção, foram abertas 500 vagas, mas só 250 chegaram a ser contratados.

De acordo com o Ministério do Planejamento, isso ocorreu “em razão da necessidade de contemplar o conjunto de demanda de todos os órgãos, frente a disponibilidade orçamentária”.

DILMA

Depois de uma forte redução da folha de pagamentos do serviço público no governo FHC, o ex-presidente Lula contratou aproximadamente 100 mil servidores.

Dilma contratou outras 32 mil pessoas, mas sua folga fiscal é menor. O próprio BC já afirmou várias vezes que o excesso de gastos dá combustível para a inflação.

Segundo o economista Marcelo Caetano, do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), o problema hoje verificado no BC tende a se generalizar, pois muitos servidores estão chegando perto da aposentadoria.

Pelas regras atuais, essas pessoas ainda têm direito a aposentadoria integral, reduzindo a margem do governo para contratações.

9 Comments

comente e responda
  1. O Banco Central do Brasil é um exemplo dessas instituições que estão sofrendo um retrocesso. O BCB está com 40% a menos do seu efetivo legal, atualmente há apenas 4.140 funcionários ativos dentre mais de 6.000 previstos legalmente, esse é o menor efetivo desde 1975. Se o governo não tomar alguma atitude, alguns serviços de extrema importância para a nação poderão ser descontinuados e algumas regionais poderão ser fechadas, como é o caso da regional de Belém. Por outro lado, em 2013, foi feito um concurso pelo Banco Central, para reforçar o seu quadro, e foram aprovados 1.035 candidatos, dentre mais de 90.000 inscritos. Entretanto, como o Banco Central não é nada autônomo e depende do orçamento previsto pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, apenas 250 candidatos foram nomeados, com a desculpa de falta de orçamento. O concurso de 2013 tem validade até Setembro de 2015 e, atualmente, há 785 candidatos que já fizeram o programa de capacitação e estão prontos para serem nomeados, dependendo de uma autorização do governo. É inadmissível o que estão fazendo com o Banco Central do Brasil, o governo não está dando a devida importância a essa renomada instituição. A inflação está chegando ao teto da Meta, o Banco Central está com dificuldades para cumprir sua missão de estabilizar o poder de compra da moeda e de solidificar o sistema financeiro nacional.

  2. No governo dos tucanos o banco central chegou a ter um quadro de mais de 6500 servidores. Esse PT da Dilma, que se diz ser um partido dos trabalhadores, ta aniquilando a instituicao e o servico publico em geral. Se o PT e uum partido de esquerda, entao o que e a direita. Volta tucanos!

  3. Enquanto agrava­-se a situação de risco no BCB, seu pedido junto ao MPOG permanece sem solução.

  4. Efetivo é o menor desde 1975. Órgão admite risco operacional por falta de funcionários.

  5. É lamentavel a situacao atual do banco central, uma instituicao de tamanha importancia no cenario economico nacional, encontra-se com seu quadro de servidores desidratados, ou seja, o menor quantitativo desde 1975. Enquanto isso o numero de compromissos com a economia só aumenta. Aprovados Banco Central Ja. #aprovadosbcb #riscodeRHnoBACEN

  6. O Banco Central está sendo esvaziado! Trabalhos importantes para o andamento da economia e do sistema financeiro já estão prejudicados. Isso representa riscos sérios para o bolso do brasileiro!

  7. Reportagem muito interessante, como um órgão chave para o governo pode chegar nessa situação?

  8. Realmente crítica a situação do Banco Central. Um crime deixar chegar nessa situação. Mas o que esperar de um governo irresponsável que mal sabe a importância que o Banco Central têm para a solidez do Sistema Financeiro Nacional? Quem que vai controlar a inflação na hora que o BC apagar as luzes? O MPOG? Patético isso.

  9. Não é só o Banco Central que sofre com a falta de pessoal, mas toda a população brasileira na medida em que o controle da Economia do País é colocado em risco. O resultado é o retorno de uma inflação galopante!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Marqueteiro recicla fórmula de vídeo de Lula em campanha colombiana

Governo interfere na disputa de empresas pela marca iPhone