Funcionários da Usina Vale do Paranaíba em Capinópolis serão os primeiros a darem baixa na carteira de trabalho após audiência

divulgação
divulgação

TRIÂNGULO MINEIRO – O caos gerado no Pontal do Triângulo pelas usinas sucroalcooleiras do grupo João Lyra parece ter um desfecho próximo. Uma audiência pública realizada entre o Ministério Público e Justiça do Trabalho garantiu aos trabalhadores os direitos constitucionais do seguro desemprego e Fundo de garantia por tempo de Serviço  (FGTS) logo após a baixa nas carteiras de trabalho.

Trabalhadores da usina Vale do Paranaíba, instalada na mgt-226 em Capinópolis, serão os primeiros a entrarem com os pedidos de baixa, seguido por Canápolis, Centralina e Ituiutaba.

O cronograma ficou estabelecido da seguinte forma:

 23 e 24 de Junho –  Capinópolis

25 e 26 de Junho – Canápolis

27 de Junho – Centralina

30 de junho e 1º de julho –  Ituiutaba

Os funcionários passam por grandes dificuldades financeiras desde o final de 2013, quando as usinas Vale do Paranaíba instalada em Capinópolis e Triálcool em Canápolis deixaram de efetuar o pagamento salarial dos colaboradores. A crise financeira atingiu o Pontal do Triângulo, mas cidades como Capinópolis e Canápolis sofrem mais com a estagnação e até recessão da economia.

Segundo informações, a Usina Vale do Paranaíba deve cerca de R$ 4 Milhões aos cofres do município de Capinópolis. A assistência social do município passa por dificuldades para atender a grande demanda.

Ao todo, o grupo JL tem uma dívida declarada de cerca de R$ 1,2 Bilhão com colaboradores, fornecedores e agricultores de Minas Gerais e Alagoas.

Em evento de alto padrão, ‘elite branca’ defende críticas a Dilma

Seleção brasileira vira piada na Internet após jogo com seleção mexicana