Dono de um carro de luxo, uma moto avaliada em R$ 50 mil e uma casa de alto padrão no bairro Morada da Colina, zona sul de Uberlândia, um professor de educação física, de 32 anos, foi preso, na noite desta terça-feira (22), suspeito de contrabandear e vender irregularmente medicamentos. Anabolizantes, anorexígenos e estimulantes sexuais foram pegos com o homem em uma transportadora no bairro Marta Helena, zona norte da cidade. Esses materiais vinham do Paraguai e Estados Unidos.

O trabalho de investigação, que durou quatro meses, uniu as polícias Federal (PF), Civil (PC) e Militar (PM) de Uberlândia e Belo Horizonte. Segundo o delegado chefe da PF, Carlos Henrique Cotta, o suspeito estava sendo monitorado e foi seguido até o momento em que receberia a mercadoria contrabandeada. “Ele não tem passagens pelo sistema policial e atuava em diversas academias da cidade vendendo esses produtos, que, além de origem duvidosa, também são falsificados.”

Foi liberado nesta quarta-feira (23) o militar que efetuou o disparo que matou o adolescente Igor Henrique da Silva, 17 anos durante uma ação na Escola Municipal Machado de Assis. Igor teria pulado o muro da escola e fez Lara Gouveia, sua suposta namorada, como refém, ameaçando-a com um facão.

Continua após a publicidade

O policial que atirou no jovem foi autuado em flagrante e a decisão da Justiça Militar determinou que ele vai responder ao processo em liberdade. A ação policial foi interpretada pelas autoridades como uma situação excepcional, chamada de excludente de ilicitude, já que o PM teria agido em defesa da vida de outra pessoa.

Segundo informações do comandante do Batalhão, Major Fialho, a uma tv local, os policias tentaram imobilizar o adolescente e o desarmar, mas ele acabou reagindo e cortando a mão de um policial, além de tentar ferir a garota. Diante da ação do adolescente, o militar efetuou um disparo, que resultou na morte do rapaz.

A mãe da garota alegou que a filha conheceu Igor Henrique da Silva durante a Expocap (Exposição agropecuária de Capinópolis) realizada em Junho e só depois iniciaram conversas via rede social. Segundo a mãe, que não quis identificar-se, a filha já teria recebido ameaças de Igor, mas não imaginava que ele faria isso.

O caso ganhou repercussão nacional com a publicação da Folha de S. Paulo desta Quinta-feira (24).

O adolescente foi sepultado às 15h desta quarta-feira, no cemitério Saudade, na cidade de Capinópolis. Ninguém da família quis falar com a imprensa.


Comments are closed.