Quadrilha é presa por suspeita de vender carteiras de habilitações falsificadas em Iturama

Divulgação / Polícia Civil
Divulgação / Polícia Civil

Após seis meses de investigação, a Polícia Civil em Iturama, Triângulo Mineiro, prendeu o suspeito de chefiar uma quadrilha de falsificação de habilitações na região. Os documentos eram vendidos por aproximadamente R$ 3.500. Segundo a polícia, o homem era ex-despachante.

De acordo com o delegado Bruno Salmen Hussain, o flagrante de um condutor com habilitação falsa deu início às investigações. “Já tínhamos notícias dessa quadrilha, mas o flagrante de um motorista em Carneirinho nos deu a prova que precisávamos. Já identificamos três pessoas da quadrilha, mas acreditamos que uma quantidade maior possa estar envolvida”, diz o delegado.

No decorrer das investigações, a polícia identificou outros 12 compradores das habilitações falsas, que apontavam as mesmas pessoas como responsáveis pela venda. Todos os 13 documentos têm expedição do estado de São Paulo e foram apreendidos. “Todas as cidades têm pessoas que vendem habilitações falsas, mas dificilmente indicam o mesmo responsável, isso facilitou nosso trabalho”, destaca Bruno.

Ainda de acordo com a polícia, a quadrilha contava com agenciadores locais, que encaminhavam os documentos dos interessados a outro membro do grupo. O homem apontado pela polícia como chefe do grupo foi encontrado em Bady Bassity, cidade paulistana a 10 Km de São José do Rio Preto. Ele foi detido e encaminhado para o presídio de Catanduva, também em São Paulo. A previsão é de que ele seja transferido para Minas Gerais no início da próxima semana.

O preso vai ficar à disposição da Justiça e, caso seja condenado, responderá por associação criminosa e falsificação de documento público.

G1

Conheça a história da ‘santa feia’ que perderá o lugar no interior gaúcho

Pesquisa aponta empate técnico entre PT e PSDB na disputa em Minas