Novembro
CAPINÓPOLIS –
Desde a quinta-feira, 6, homens na faixa etária dos 50 a 70 anos devem procurar o PSF mais próximo de sua casa para realizar o exame de PSA, numa programação especial elaborada pela Secretaria Municipal de Saúde, com relação ao “Novembro Azul”, assim como o Outubro Rosa, voltado para a prevenção contra o câncer, porém, desta feita para os homens.

Segundo a secretária municipal de Saúde, Simone Dantas, nas Unidades de Saúde inicialmente não serão realizados exames de toque, apenas o PSA, que é um exame de sangue, mas a SMS estará disponibilizando todos os demais exames, de acordo com o diagnóstico médico. “Pela primeira vez está sendo realizado em Capinópolis uma programação especial para os homens, e temos que quebrar esse paradigma e que todos possam procurar o referido atendimento”, disse.

Continua após a publicidade

“O homem procura menos o médico e quando procura a doença já está em fase adiantada, com um diagnóstico mais difícil. Muitas vezes ele não procura por conta do trabalho do dia a dia, ou mesmo por receio”, avalia Simone Dantas.

Ainda segundo Simone Dantas, foi realizado nesta semana uma reunião com todos os médicos do Programa Saúde da Família, onde foram passadas todas as orientações como será o trabalho ao longo desse mês.

De acordo com a prefeita de Capinópolis, Dinair Isaac, está sendo feito um trabalho de suma importância por parte da Secretaria Municipal de Saúde em termos de prevenção, e assim como as mulheres procuram sempre realizar os exames preventivos, é de suma importância que os homens façam o mesmo”, disse.

De acordo com o Ministério da Saúde, o mês de novembro é internacionalmente dedicado às ações relacionadas ao câncer de próstata e à saúde do homem.

O câncer de próstata é o sexto tipo mais comum no mundo e o de maior incidência nos homens. As taxas da manifestação da doença são cerca de seis vezes maiores nos países desenvolvidos.

Cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem em homens com mais de 65 anos. Quando diagnosticado e tratado no início, tem os riscos de mortalidade reduzidos. No Brasil, é a quarta causa de morte por câncer e corresponde a 6% do total de óbitos por este grupo.


Comments are closed.