Procuradoria eleitoral pede cassação do governador eleito Pimentel

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Fernando Pimentel governador eleito em Minas Gerais
Fernando Pimentel governador eleito em Minas Gerais

A Procuradoria Regional Eleitoral de Minas ajuizou ação na tarde desta quinta-feira (18) pedindo a cassação do diploma do governador eleito do Estado, Fernando Pimentel (PT), e do seu vice, Antônio Andrade (PMDB), além da inelegibilidade deles.

A motivação do pedido está sustentada na reprovação das contas do governador eleito pela Justiça Eleitoral, na semana passada. Por 4 votos a 2, os juízes rejeitaram as contas e aplicaram multa de R$ 50,8 milhões.

A Justiça entendeu como erro insanável o fato de a campanha ter excedido em R$ 10,17 milhões os gastos eleitorais para governador –o valor informado era de R$ 41 milhões.

Por esse motivo, o TRE reprovou as contas do petista e aplicou a multa que, conforme a lei, deve ser cinco vezes o valor da irregularidade.

A reprovação não impede a diplomação do governador eleito, marcada para o final da tarde desta sexta-feira (19). Mas não o exime de sofrer ações judiciais pedindo a sua cassação e inelegibilidade, como já ocorreu.

Na ação, o procurador regional eleitoral Patrick Salgado afirma que a campanha de Pimentel praticou “inaceitável abuso de poder econômico” ao superar o limite de gastos apresentado e adotado “método dúbio de realização de despesas”.

A campanha de Pimentel alega, por sua vez, que as despesas ficaram em R$ 41,1 milhões, já que os R$ 10,17 milhões alegados como excedente não seriam gastos, mas transferências para o comitê financeiro único do PT. E, segundo a campanha, esses valores não poderiam ser considerados novas despesas.

A Procuradoria apontou como “incompreensível método de realização de despesa” o fato de o comitê único também ter transferido recursos para o candidato.

O recurso de Pimentel foi apresentado no próprio TRE. Em caso de nova derrota, ainda restará o recurso ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

O PSDB-MG, derrotado pelo petista na eleição, já havia feito representação com pedido para que Pimentel não fosse diplomado nesta sexta, mas o TRE negou a liminar nesta quarta-feira (17).

A assessoria de Pimentel informou que não há comentários a ser feito sobre o novo pedido levado à Justiça.

Veja também:

Apoio:

Alexandre Santos Gomes advogado em Capinópolis

1
2
3
4
5
1
2
3
4
5
1
2
3
4
5

Bloqueador de Publicidade

Detectamos um bloqueador de publicidade no seu navegador. Por gentileza, apoie o jornalismo independente brasileiro

Refresh

error: A cópia do conteúdo do Tudo Em Dia é proibida