Brasil tem 19 cidades listadas no ranking das 50 mais violentas no mundo

País tem 19 cidades entre as 50 mais violentas do mundo  Mais três municípios brasileiros entram em relatório
País tem 19 cidades entre as 50 mais violentas do mundo
/ Mais três municípios brasileiros entram em relatório

A violência nas grandes cidades brasileiras ficou mais grave entre os anos de 2013 e 2014. É o que constata um levantamento feito pela ONG mexicana Conselho Cidadão para a Segurança Pública e Justiça Penal. A instituição analisou as taxas de homicídios de cidades com mais de 300 mil habitantes em todo o mundo e compilou as informações em um ranking com os 50 municípios mais violentos.

A cidade mais violenta do Brasil, segundo os critérios da ONG, é João Pessoa, na Paraíba. Ela é considerada a quarta mais violenta do mundo. Nem São Paulo ou Rio de Janeiro, considerados locais violentos, estão na lista. Com a entrada de Curitiba, Porto Alegre e Teresina, o Brasil aparece com 19 cidades no ranking de 2014, três a mais do que no ano anterior. Além disso, das 13 cidades brasileiras que figuravam na lista em 2013, nove delas pioraram de posição, indicando que o número de homicídios em relação ao número de habitantes cresceu. O pior desempenho foi o de Cuiabá, capital do Mato Grosso, que subiu 13 posições, se tornando a 16ª cidade mais violenta do mundo. Já Belo Horizonte subiu de 44º para 42º lugar.

Guetos da violência A região que mais agrega cidades violentas é o Nordeste. Todas as capitais da área estão no ranking, que ainda inclui Campina Grande, na Paraíba, a única cidade brasileira do interior incluída na lista. Todas as demais regiões têm duas capitais no ranking, com a exceção da região Norte, que tem três cidades na lista.

tags: ranking da violência, cidades violentas, brasil violento, lista das cidades mais violentas do brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Homem é atingido por raio e morre em União de Minas

Acidente entre carro e caminhão mata motorista e 4 crianças, diz PRF