Polícia investiga mãe que teria vendido recém-nascida por R$ 2.800 em Minas

Mulher, de 41 anos, entregou o bebê logo após sair da maternidade para um casal carioca
Mulher, de 41 anos, entregou o bebê logo após sair da maternidade para um casal carioca

A Polícia Civil investiga uma mulher de 41 anos que teria vendido a filha recém-nascida para um casal carioca. A entrega da criança ocorreu em Lavras, no sul de Minas Gerais.

A corporação ainda não sabe se Márcia Damasceno vendeu ou deu a menina para Ricardo Fajardo e Débora Gasse Fajardo. Na casa da jovem foi encontrado um cheque no valor de R$ 2.800, mas ela diz que o dinheiro pertence ao ex-marido.

As imagens de um circuito interno mostram Márcia saindo da unidade de saúde, pouco depois de receber alta. Ela foi filmada entregando a filha para uma advogada.

O casal teria contratado a advogada Luciana Furtado para providenciar a documentação necessária para a adoção ilegal. A médica, Vera Lúcia Bello, também faria parte do esquema. Foi ela quem acompanhou o pré-natal de Márcia.

O caso foi descoberto no momento em que a mãe adotiva levou o bebê até um posto de saúde de Lavras para fazer o teste do pezinho. Uma atendente desconfiou porque a mulher apresentou o próprio documento e o cartão de vacinação do bebê, onde consta o nome da mãe biológica.

O casal, a médica e a advogada prestaram depoimento e foram liberados. O bebê foi encaminhado para o abrigo municipal da Prefeitura de Lavras. Fajardo e Débora estão em um hotel da cidade e pretendem tentar a adoção legal da criança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Empresário é condenado a 16 anos de prisão por morte de sócio em Belo Horizonte

Jovem é morto a pedradas em local frequentado por usuários de drogas