in

Pai confessa ter mandado matar ex-companheira e filhos gêmeos de dois meses em Uberaba

Delegada de Orientação e Proteção à Família, Carla Garcia Bueno, durante depoimento de Matusalém Ferreira Júnior
Delegada de Orientação e Proteção à Família, Carla Garcia Bueno, durante depoimento de Matusalém Ferreira Júnior

UBERABA, TRIÂNGULO MINEIRO – O suspeito de participação na morte da jovem de 22 anos, Izabella Geanvechio, admitiu ser o mandante do crime. Ele compareceu à 5ª Risp de Uberaba na tarde desta terça-feira, 17. Em depoimento, o comerciante de 48 anos, Matusalém Ferreira Júnior, confessou ter mandado matar a ex-companheira e o casal de gêmeos. O autor recusava o reconhecimento da paternidade.

Apesar da afirmação de Matusalém, a morte dos dois bebês de dois meses e quatro dias, ainda não foi reconhecida. Por volta das 15h30, os Policiais Militares deixaram a 5ª Risp com o autor, que irá apontar a localização dos corpos. Houve tumulto e revolta na porta do batalhão devido à repercussão do caso.

ENTENDA O CASO

Além da mãe, bebês também foram executados a tiros por suposto pai

por Elias Santos 

Acusado de matar a comerciária Izabella Marques Gianvechio, de 22 anos, na tarde da última quinta-feira, próximo à cidade de Aramina-SP, se apresentou ontem à Polícia em Uberaba. O casal de gêmeos de dois meses também foi assassinado a tiros.

Os corpos foram encontrados a 4 quilômetros de onde foi localizado o corpo da mãe entre Aramina e Buritizal. Suspeito, que se recusava a reconhecer a paternidade das crianças, apontou outro homem como o autor dos crimes. A Polícia Civil, em diligência, foi ao local apontado onde estariam os corpos dos bebês. Mandado de prisão temporária foi expedido contra o acusado.

O comerciante Matusalém Ferreira Júnior, 48 anos, suspeito de envolvimento na morte da comerciária e do sequestro do casal de gêmeos de dois meses, se apresentou na sede da 5ª Risp. Acompanhado do advogado Odilon dos Santos, o acusado negou a autoria do crime e apontou o tal “Pedrão” – que seria também chamado de “Serjão” ou Antônio – como o autor dos homicídios da mãe e das crianças de dois meses. Em filmagens verificadas pela Polícia, esse homem, que ainda não havia sido localizado até o fechamento desta edição, teria entrado no carro em que estavam as vítimas e Matusalém, na porta do Parque Fernando Costa.

Familiares, populares e imprensa compareceram na portaria de acesso da 5ª Risp para acompanharem o depoimento do suspeito, que ao sair foi ameaçado pelos populares.

Na manhã de ontem, um veículo VW Fox foi encontrado carbonizado, por um trabalhador rural, em uma fazenda nas imediações da Rodovia Cândido Portinari, em Pedregulho (SP). De acordo com a Polícia Militar, o carro é o mesmo utilizado pelo suspeito do assassinato da jovem, encontrada morta no último dia 12 de fevereiro. A polícia conseguiu identificar o carro pelas placas, que já haviam sido divulgadas pela Polícia Civil de Uberaba para tentar localizar o paradeiro do suspeito. O veículo foi apreendido e levado ao pátio municipal de Pedregulho.

Após mais de duas horas de depoimento a um grupo de delegados, sob o comando da delegada titular da Delegacia de Orientação e Proteção à Família, Carla Garcia Bueno, o suspeito foi levado para as diligências. Na Porta da Risp, localizada na praça Magalhães Pinto (do Quartel) cerca de 150 pessoas revoltadas ameaçaram linchar o acusado, proferindo palavras de indignação com o ocorrido.

Os corpos dos dois bebês foram encontrados aproximadamente quatro quilômetros após o local onde estava o corpo da mãe deles. O assassino teria entrado numa estrada vicinal e depois de percorrer cerca de 200 metros pela mata e retirar os gêmeos das cadeirinhas de bebê-conforto, os executou a tiros.

Jornal da Manhã