Algoritmo pode identificar pedófilos na internet

O algoritmo criado por um grupo de estudantes de engenharia é capaz de identificar – com taxa de acerto acima dos 80% – possíveis pedófilos na internet. O mecanismo analisa qualquer tipo de conversa de texto online.

Em tempo real, o algoritmo quebra o diálogo em palavras e frases isoladas, compara a informação com um banco de dados específico que armazena conversas reais de pedófilos já capturados ao redor do mundo e outros bate papos convencionais; no final, o mecanismo dá uma nota indicando se o chat é de um possível criminoso ou não.

A análise de textos em tempo real ainda é um desafio para a tecnologia; para cada caso, seria preciso programar um novo algoritmo baseado em uma base de dados específica. Alguns serviços já tentaram aplicar inclusive análise semântica para identificar conversas online, mas a tarefa não é tão simples. Isso sem contar toda a questão de privacidade envolvida.

O algoritmo criado pelos alunos ainda não é uma ferramenta comercial, mas pode se transformar em um forte aliado no combate à pedofilia tanto pelas autoridades quanto por aqueles pais que querem proteger seus filhos dos perigos da internet. Um aplicativo baseado no algoritmo instalado no computador do usuário poderia analisar todas as conversas que a criança mantém online e alertar os pais – e até a polícia – em caso de suspeita. O trabalho agora é nesta direção… até porque essa tecnologia pode ter outros usos.

Dá para imaginar, por exemplo, a busca por traficantes de drogas que se comunicam pela internet.
No Brasil, não existe um padrão técnico para a identificação de pedófilos na web. Por enquanto, as autoridades se baseiam praticamente na detecção e interceptação de imagens, não conversas. Mas, privacidade à parte, quão relevante seria uma solução como esta? Que pai não abriria mão do que fosse necessário para proteger seus filhos? O que você acha? Qual a sua opinião a respeito?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carnaval em Capinópolis foi realizado com segurança

Sandra de Sá sobre homossexualidade para Marília Gabriela: “É um dom”