Juiz intima envolvidos no processo de falência do grupo João Lyra para manifestação em um prazo de 10 dias

Comitiva mineira foi à Coruripe em Janeiro de 2015 para agilizar processo
Comitiva mineira foi à Coruripe em Janeiro de 2015 para agilizar processo

PAULO BRAGA / TUDO EM DIA.COM

O juiz da comarca de Coruripe (AL), Mauro Baldini, intimou na última quinta-feira (19) os envolvidos no processo de falência do grupo JL, do empresário João Lyra. A intimação foi feitas aos credores, administrador judicial, ao empresário João Lyra e ao órgão do Ministério Público.

O documento disponibiliza um prazo de 10 dias para manifestação das partes referente ao “Parecer” do magistrado. Segundo informações obtidas pelo Jornal Tudo em Dia, há uma grande possibilidade dos advogados do empresário falido João Lyra solicitar vista dos Altos ou entrar com alguma ação para paralisar ou atrasar o andamento do processo.

O “Parecer” apresenta como será a modalidade de venda das unidades do grupo após a publicação do edital – A venda contempla usinas sucroalcooleiras, outras empresas grupo e até uma aeronave.

Uma mobilização está sendo feita para que as usinas instaladas no Pontal do Triângulo Mineiro, Vale do Paranaíba e Triálcool, sejam vendidas para um mesmo comprador ou grupo de compradores, mas não é descartada a venda individual das empresas.

O documento destaca a urgência na venda das usinas Vale do Paranaíba, instalada em Capinópolis e Triálcool, instalada em Canápolis devido ao grande impacto social e econômico causado pela paralisação das atividades destas empresas. A mobilização de autoridades regionais das cidades mineiras Capinópolis, Canápolis, Ipiaçu e Ituiutaba foi decisiva no andamento do processo.

Segundo o vereador capinopolense Caetano Neto da Luz, alguns agendamentos já estão sendo feitos com possíveis compradores – “Só iremos descansar quando esta usina estiver funcionando e o nosso povo trabalhando”, destacou o vereador.

O vereador Cleidimar Zanotto, que também acompanha de perto o andamento do processo, disse que fica feliz com o agilidade do processo e acredita que a venda pode ocorrer em breve, logo após a disponibilização do edital.

O presidente da câmara Municipal de Capinópolis, Paulo Amaral, salientou a importância das empresas para a região do Pontal do Triângulo Mineiro e destacou a importância de novo comprador ou grupo compradores em respeitar as leis ambientais e preservar o meio ambiente.

Várias autoridades regionais foram à Coruripe (AL) em Janeiro deste ano para apresentar as urgências e questões peculiares da região. O padre da cidade de Ipiaçu (MG), Eduardo Santos Gomes também participou da comitiva.

A prefeita de Capinópolis, Dinair Isaac, disse que a notícia da venda das usinas é muito esperada e isso tudo caminha para que isso ocorra em breve – “Estamos ansiosos pra vermos a cidade movimentada, gerando emprego e renda para a cidade e cidadãos, mas principalmente, que os credores recebam o que lhes é de direito”, disse a prefeita.

O presidente do Sindicato dos trabalhadores Rurais de Capinópolis, que representa os credores de classe 1 (colaboradores), disse que a instituição apresentou vários argumentos para que a venda seja decretada em caráter de urgência, visto o grande risco de “canibalização” promovido por outras empresas do setor instaladas na região, que estão arrendando as terras e comprando grandes áreas de cana-de-açúcar. Segundo o presidente do sindicato dos trabalhadores Rurais de Capinópolis, Alan Cunha Santana, há a expectativa se os representantes do empresário João Lyra irão entrar com alguma ação, mas o segundo o presidente, a sentença do juiz Mauro Baldini deve ser rápida e a venda deve acontecer.

O prazo para manifestação do “Parecer” do magistrado expira no início de Março e venda das unidades deverá ocorrer ainda no primeiro semestre deste ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Segundo suspeito de envolvimento na morte de mãe e gêmeos é preso

Fortes chuvas causam pontos de atolamento em estradas rurais da região