Jovem de 24 anos e o recém-nascido estão bem (Foto: Wanderson Pereira/Arquivo Pessoal)
Jovem de 24 anos e o recém-nascido estão bem
(Foto: Wanderson Pereira/Arquivo Pessoal)

O plantão do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em Uberaba registrou dois partos fora de hospitais em um intervalo de nove horas entre sexta-feira (29) e sábado (30). Um bebê nasceu em casa, no Bairro Boa Vista, na noite de sexta, enquanto outra criança nasceu na maca da ambulância, na porta do hospital, no início da manhã deste sábado.

Segundo ao Samu, todos as mães e bebês foram levados em bom estado ao Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC-UFTM), onde foram internados. O G1 entrou com o contato com o hospital e a chefia de enfermagem, que não tinha autorização para passar informações sobre os pacientes por telefone. Os familiares que acompanharam os partos também não foram localizados.

Com estes dois casos, sobem para três o número de partos realizados fora de hospitais nesta semana na cidade. Na madrugada de segunda-feira (25), Wanderson Pereira Bino fez o parto do filho Davi de forma improvisada após a esposa Jéssica Leane entrar em trabalho dentro de casa, no Bairro Vila Arquelau. A paciente sentiu as primeiras contrações na noite de domingo (24) e, ao procurar o hospital, foi atendida e liberada. Mãe e bebê tiveram alta na quarta-feira (27).

Continua após a publicidade

Ligação do orelhão
O médico do Samu, Clóvis Batista, confirmou que a primeira ligação pedindo orientação para o parto foi recebida pela equipe de plantão às 21h30 de sexta-feira. Do outro lado da linha, um morador do Bairro Boa Vista disse que a mulher estava em trabalho de parto. Detalhe: pelo orelhão.

“Ele fez uma ligação do orelhão, não estava dentro da casa ao lado da mãe. Ele disse que a bolsa tinha rompido pela manhã, mas não tinha procurado atendimento médico porque quis ficar em casa e que, no momento, ela estava em franco trabalho de parto. Eu orientei o solicitante e encaminhei a viatura. Enquanto isso, os familiares que estavam ao lado da mãe avisaram que, primeiro, a criança estava coroando. Pouco depois, ela nasceu”, explicou Clóvis Batista.

A equipe do suporte básico, com enfermeiros, chegou primeiro à casa da família. Em seguida, chegou o médico Alysson Guilherme. “Já tinha feito a clipagem do cordão umbilical e já tinha inclusive a expulsão da placenta. A equipe do suporte básico nos entregou a criança na frente da casa e nós fizemos os procedimentos dos primeiros cuidados e checagem dos sinais vitais na ambulância. Enquanto isso a equipe atendia a mãe dentro da casa”, contou o médico.

Mãe e bebê levados para o hospital foi o final feliz da primeira história. O plantão prosseguiu e o telefone tocou de novo e Clóvis Batista orientou o segundo caso de mulher em trabalho de parto em cerca de 9 horas.

“O familiar que estava do lado da paciente contou que era o quarto filho dela, que antes teve três partos normais. Ele disse que a bolsa tinha acabado de romper e que ela estava em trabalho de parto, apresentando de três a quatro contrações no período de dez minutos”, lembrou Clóvis Batista.

A ambulância chegou à casa da família, no Bairro do Gameleira, e levou a parturiente para o hospital. Só que o bebê estava com pressa em nascer. “A unidade de suporte chegou ao local e fez o primeiro atendimento à mãe. Não estava coroando ainda mas, durante o tempo de deslocamento do bairro ate o hospital escola, ela evoluiu para o trabalho de parto e vindo a nascer em cima da maca na porta do Hospital das Clínicas” , disse Clóvis Batista.

O médico do Samu Clóvis Batista destacou ainda que esse não é o procedimento indicado para partos. No entanto, em casos de emergência, a dica é agir como as três famílias de Uberaba que, mesmo por telefone, procuraram ajuda e orientação médica.


Comments are closed.