Atraso no repasse de verbas pode mudar o prazo de entrega da BR-154

Atraso no repasse de verbas pode mudar o prazo de entrega da BR-154
Atraso no repasse de verbas pode mudar o prazo de entrega da BR-154

Apesar da obra de pavimentação da BR-154, no trecho Ituiutaba/Bastos, não ter paralisada em nenhum momento, por conta do atraso no repasse de verbas por parte do governo federal a obra seguiu em ritmo lento por alguns dias.
Hoje aproximadamente 30 quilômetros estão asfaltados, com sinalização e escoamento da rede pluvial. Das 3 pontes que estão sendo construídas, 2 já estão praticamente prontas.
Segundo o engenheiro supervisor da unidade local do DNIT de Araxá que fiscaliza a obra, Erasmo Lemos de Azevedo, realmente houve um atraso no repasse de verbas, no entanto aproximadamente 150 funcionários ainda estão trabalhando. “O prazo para o término da obra será reprogramado, o que depende da liberação de recursos do governo federal que até o momento não negociou com a Integral Engenharia, que é a empresa responsável por toda obra. Por essa razão não podemos prever quando a obra será finalizada”, disse.
Erasmo Azevedo revelou que homens e máquinas continuam trabalhando nas frentes de serviço de terraplanagem, pavimentação, drenagem, além de vários colaboradores estarem executando serviços na ponte do Rio da Prata.
Após a conclusão da BR-154, a estrada beneficiará não apenas para o progresso de Ituiutaba, mas será de grande valia e estratégica para todo o Pontal de Minas. “O acesso aos municípios de Campina Verde, Iturama e Itapagipe ficará muito mais rápido, seguro e econômico ao motorista”, destacou.

Apesar dos atrasos os produtores rurais que transitam pelo trecho já comemoram. De acordo com José Rodrigues da Costa, que tem propriedade na região do Botafogo (próximo ao Bastos), apesar da obra não estar concluída a rodovia já oferece melhor qualidade de rodagem. “Antes enfrentávamos poeira, “costela de vaca”, e na época das chuvas o barro. Muitas vezes tive dificuldades de passar com meu carro no trecho e quando o pessoal do laticínio que colhe o leite em minha propriedade sempre reclamava das dificuldades no transporte do leite. Hoje a realidade é outro, pois apesar do asfaltamento da rodovia não estar pronto, nos trecho que a obra está concluída nós transitamos com muito mais tranquilidade”, contou.

Fotos: Jonathan Araújo/Jornal do Pontal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Primeira-dama de Minas é central à trama que levantou suspeitas sobre Pimentel

Capinopolense de 33 anos morre em acidente envolvendo moto próximo à Cachoeira Dourada