(Esq) Paulo Amaral / Caetano Neto
(Esq) Paulo Amaral / Caetano Neto

CAPINÓPOLIS, TRIÂNGULO MINEIRO – O Projeto de Lei 1.730, aprovado na Câmara Municipal de Capinópolis em 2014, tem o escopo de promover a qualidade de vida do cidadão capinopolense, tanto da população geradora de resíduos, quanto dos catadores de materiais, visando melhorar as condições de trabalho desses profissionais, ampliando as oportunidades de inclusão social e econômica e expandindo a coleta seletiva de resíduos sólidos, a reutilização e a reciclagem.

Paulo Amaral e Caetano Neto são os vereadores autores do Projeto de Lei 1.730 – “Como podemos observar na própria Constituição Federal, o meio ambiente ecologicamente correto é um direito de todos e temos que agir rapidamente para garantir o futuro saudável desta e também de gerações futuras”, salientou Caetano.

O programa prevê ações nas áreas de capacitação, formação, assessoria técnica, incubação de cooperativas e empreendimentos sociais solidários, pesquisas e estudos sobre o ciclo de vida dos produtos e a responsabilidade compartilhada, aquisição de equipamentos, máquinas e veículos, implantação e adaptação de infraestrutura física e a organização de redes de comercialização e cadeias produtivas integradas por cooperativas e associações de trabalhadores.

Continua após a publicidade

O trabalho de catador de materiais, além de ser um meio de subsistência, também é um meio de integração social, pois possibilita o relacionamento entre pessoas, a inclusão social e o sentimento de pertencer a um grupo. Assim, o trabalho significa para o trabalhador uma forma de afirmar sua identidade por meio de atribuições individuais inseridas por ele na realização da tarefa.


Comments are closed.