Reunião realizada no Catru
Reunião realizada no Catru

CAPINÓPOLIS, TRIÂNGULO MINEIRO – Tendo em vista o Estado de Emergência já decretado em alguns estados brasileiros por conta do avanço dos casos de microcefalia, autoridade em Capinópolis realizaram no último dia 2, reunião na Promotoria de Justiça da Comarca de Capinópolis, onde se reuniram a prefeita de Capinópolis, Dinair Maria Pereira Isaac; Simone Pessoa Dantas, secretária municipal de Saúde; e Paulo Augusto Alves do Amaral, presidente da Câmara Municipal.

A reunião foi coordenada pela Promotora, Dra. Maria Carolina Silveira Beraldo, que presidiu a reunião, expondo sua preocupação em relação ás medidas preventivas que têm sido adotadas quanto a propagação do mosquito Aedes Aegypti, sobretudo considerando-se a recente epidemia de microcefalias, que podem estar ligadas a infecção pelo Zika Vírus.

Foi requerido pela Promotora de Justiça um mapeamento das gestantes do município com visitas dos agentes de Controle de Endemias e agentes comunitários de saúde ás respectivas residências e entorno, bem como comunicações via imprensa sobre a importância da eliminação dos focos de criação do mosquito, bem como das nefastas consequências de uma eventual contaminação.

Continua após a publicidade

A Promotoria Pública também cobrou do Legislativo e do Executivo medidas enérgicas na implementação das políticas públicas de saúde, sobretudo no que diz respeito a responsabilização dos munícipes proprietário de terrenos e residências relegados ao abandono e que constituem potencial foco de disseminação do mosquito, e que tanto a prefeita quanto o presidente da Câmara se comprometeram a envidar esforços conjuntos para a resolução do problema.

De acordo com informações da Secretaria Municipal de Saúde, já foi elaborado pela SMS e equipe, o Plano de Contingência Municipal contra Dengue, ChikunGunya e Zika Vírus onde foram traçados ações e metas tanto na parte de mobilização social; estrutura e recursos humanos e assistência ao paciente; fluxo de atendimento e previsão de recursos necessários em caso de epidemia.

Dentro desse planejamento, há teve início no último dia 1º de dezembro um Mutirão de Limpeza com contratação de mais cinco agentes para o Controle de Endemias, além dos 15 que já executam esse trabalho que será feito em todo o município e que está dentro do Plano de Ação a serem desenvolvidas.

Também está sendo feito levantamento das caixas d’água que estão destampadas e será feito a distribuição das telinhas de proteção, e em outra medida adotada, em momentos de epidemia, cada unidade de saúde terá uma sala de hidratação oral e venosa, se necessário.

Tudo que foi discutido na reunião junto à Promotoria Pública, e atendendo sua solicitação, foi realizada uma reunião no CATRU – Centro de Apoio ao Trabalhador Rural, no último dia 3, com toda equipe do Programa Saúde da Família (enfermeiras e agentes Comunitários de Saúde ), secretária municipal de Saúde, Simone Pessoa Dantas; coordenadora da Atenção Primária, Mona Nascimento Silveira e coordenadora de Vigilância em Saúde, Maria Nazaré Costa, onde   foi repassada todas as informações sobre as ocorrências de microcefalias no Brasil e que foram notificados até dia 21 de novembro de 2015, 739 casos suspeitos identificados em 190 municípios de nove estados do Brasil. Apenas o estado de Goiás notificou caso fora da região nordeste. Os casos estão assim distribuídos: Pernambuco (487 casos; 65,9%), Paraíba (96 casos; 13,0%), Sergipe (54 casos; 7,3%), Rio Grande do Norte (47casos; 6,4%), Piauí (27 casos; 3,7%), Alagoas (10 casos; 1,1% e Goiás (1 caso; 0,1%), entre o total de casos, foi notificado um óbito no Estado do Rio Grande do Norte.

A secretária de Saúde Simone Dantas solicitou a toda equipe um olhar diferenciado nesse momento, principalmente com as gestantes, devendo fazer visita a todas com as orientações necessárias quanto a prevenção, como não consumirem bebidas alcoólicas ou qualquer outro tipo de drogas; não utilizar medicamentos sem orientação médica; evitar contato com pessoas com febre ou infecções; realizar acompanhamento e as consultas de pré-natal, com a realização de todos os exames recomendados pelo médico; orientação quanto a adoção de medidas que possam reduzir a presença de mosquitos transmissores da doença, com a eliminação de criadouros e proteger-se da exposição de mosquitos; usar calça e camisa de manga comprida e utilizar repelentes permitidos para gestantes.

“Pedimos o apoio de toda a população, não acumular lixo no quintal que pode ser um criadouro para o mosquito. Juntos venceremos essa ameaça que pode chegar a nossa população, principalmente as gestantes que é o nosso grupo de risco”, comentou Maria Nazaré.


Comments are closed.