Valter Fonseca dos Santos, 41 anos
Valter Fonseca dos Santos, 41 anos

Valter Fonseca dos Santos, 41 anos, e uma história impressionante! Uma história de desafios, empenho, dedicação, estudo, solidariedade e por fim, com gosto de vitória.

O personagem desta reportagem mora nas ruas de Patos de Minas há 16 anos, onde já passou por diversas dificuldades, enfrentou e ainda enfrenta a falta de trabalho, faz “bicos” para sobreviver e hoje dorme em uma varanda de um bar e guarda seus pertences em um terreno baldio.

Há três anos, Valter viu no CREAS de Patos de Minas, através da Diretora do Centro, Maria Augusta, uma chance de recomeçar de novo e sonhar novamente com aquilo que ele desejava quando saiu da sua cidade natal, Ilhéus – Bahia, que era constituir uma família e arrumar um emprego.

Continua após a publicidade

Maria Augusta conta que encontrou com o morador de rua em uma ronda pela cidade e em uma abordagem contou a ele sobre o CREAS, após alguns dias, Valter foi ao local, e então, a Diretora procurou saber um pouco mais sobre a vida do baiano, e ao longo do tempo, foi descobrir que ele já havia concluído o Ensino Médio e que se tratava de uma pessoa bastante inteligente.

A Diretora conta que reformulou o currículo do “novo filho”, como ela mesma gosta de tratá-lo, e encaminhou para diversas empresas de Patos de Minas, não obtendo sucesso devido a sua falta de moradia.

“Eu fiz várias tentativas de emprego na cidade e não consegui, só aqui no CREAS a Dona Maria Augusta fez cinco e nenhuma deu certo, foi aí que ela me disse assim: tenho uma última opção, por que você não faz o Concurso Público da Prefeitura de Patos de Minas? Você é inteligente e tenho certeza que você irá passar”, conta o morador de rua.

Valter, então, escolheu o cargo de coveiro e se inscreveu no Concurso, e passou a se dedicar aos estudos, auxiliado por Maria Augusta, que sempre imprimia provas-testes para seu “filho” e se empenhava em ajudá-lo nos estudos diários. “Eu tive que me dedicar muito. Tinha dia que eu estava muito cansado, pois quem mora na rua não dorme bem, não tem descanso, e eu parava na porta de bares e dormia, mas mesmo assim eu conseguia estudar cerca de 4 vezes ao dia”, afirmou ele.

O morador ainda conta que Maria Augusta exigiu dele o 1º lugar no Concurso, e foi o que aconteceu, no último dia 24 de novembro veio o resultado, e estava lá, no topo da classificação, escrito Valter Fonseca dos Santos, 26 pontos, 1º lugar na vaga de Coveiro.

“Para mim foi como um sonho, eu não esperava isso, pois eu achava que as pessoas eram mais capacitadas que eu, mas eu tinha certeza que eu tinha feito uma boa prova, de cada questão que eu fiz eu sabia explicar cada uma delas. E essa conquista não é só minha, o pessoal aqui (do CREAS) fizeram questão de me ajudar, pegou no meu pé, puxou minha orelha, para chegar aonde eu cheguei”, fala ele emocionado.

Maria Augusta conta que foi um presente de Deus para ela, essa conquista de Valter. “Foi muito gratificante, para mim foi um presente de Deus, ele agora, após ser homologado o Concurso assim que for chamado será um servidor público”, conta alegre a Diretora do CREAS.

Após essa conquista, Valter pôde voltar a sonhar novamente e poderá recomeçar a sua vida. “Agora eu sonho em receber esse trabalho com muita responsabilidade, mudar de vida, porque morar na rua é muito horrível. Penso também em concluir meu sonho de construir uma família”, finalizou Valter.

Autor: André Martins / Notícias das Gerais


Comments are closed.