Número de infectados pelo HIV no Amapá aumentou 30% em 2015

O ano de 2015 fechou com um aumento de 30% em relação ao ano anterior no número de

Teste rápido do HIV é feito em qualquer posto de saúde da rede pública (Foto: John Pacheco/G1)
Teste rápido do HIV é feito em qualquer posto de
saúde da rede pública (Foto: John Pacheco / G1

pessoas infectadas pelo vírus HIV no Amapá, o que equivale a mais de 260 novos casos.
A infecção pode resultar na Aids, síndrome que anula os sistemas de defesa do corpo e não tem cura. As incidências, segundo a Coordenadoria de Vigilância em Saúde (CVS), ainda estão relacionadas à prática do sexo sem proteção.
Para Aline Campos, assistente social do setor de DST/Aids, mais de 70% dos casos de infecção estão diretamente ligados ao não uso de camisinha. Outros tipos de adquirir o vírus como uso de objetos usados pelos portadores e transfusão de sangue ocorrem em incidência muito menor no estado.

Além da contaminação, 31 novos casos notificados de Aids foram registrados no estado. Esse indicador é muito menor que o do ano anterior, que teve 94 casos. Aline explica que a pessoa pode conviver por anos com o vírus HIV sem que apresente nenhum sintoma da Aids.

A facilidade de acesso ao teste rápido e aos tratamentos de controle é um dos fatores que aproxima o portador do serviço de saúde. Mesmo assim, segundo a coordenadoria, muitas pessoas ainda resistem em procurar atendimento.

“A faixa etária contaminada é predominante entre os jovens de 15 a 29 anos e que são heterossexuais. Além disso observamos um aumento nos casos em mulheres mais velhas, casadas e fieis, que se relacionam há anos com o marido sem camisinha, mas não percebem se ele está tendo relações com outras mulheres”, falou Aline.

G1

Jogos piratas vão sumir em dois anos, diz grupo hacker

Carreta pega fogo após grave acidente entre Santa Vitória e Ituiutaba