Foto: FELIPE CASTANHEIRA /  GUSTAVO LAMEIRA
Foto: FELIPE CASTANHEIRA /
GUSTAVO LAMEIRA

BELO HORIZONTE, MINAS GERAIS – O governador Fernando Pimentel (PT) falou com a imprensa na manhã desta quarta-feira (6), no Palácio da Liberdade, região Centro-Sul de Belo Horizonte. Funcionários da Cemig protestaram.

Durante coletiva para lançamento de um aplicativo, Pimentel disse que os atrasos no pagamento dos funcionários públicos deve persistir pelos três primeiros meses deste ano. Ele também comentou sobre a situação dos funcionários da Cemig, em greve há 43 dias.

“Vamos pagar dois dias úteis depois do prazo normal, em vez de ser no dia 8, será no dia 13 de janeiro, isso se deve ao fato de não termos o volume suficiente de recursos. Isso aconteceu porque pagamos duas folhas no final do ano, pagamos dezembro e o 13º, então até o dia 8 não teremos o volume para pagar todo mundo”, explicou.

Continua após a publicidade

O governador ressaltou que a principal preocupação do governo no momento é a de garantir o pagamento do funcionalismo. “Ao longo da próxima semana, devemos chamar todas as associações e sindicatos dos servidores, para oferecer a eles um cronograma de pagamentos que dê segurança para o servidor”, pontuou.

Pimentel também responsabilizou o deficit de R$ 10 bilhões deixados pelas gestões anteriores, como um dos fatores para o não pagamento dos servidores. “Queremos criar um cronograma que dê segurança ao servidor, não posso antecipar ainda qual será, mas com certeza até meados da semana que vêm teremos este fluxo de caixa para entregar às associações e sindicatos”, afirmou.

Cemig

Ao falar sobre os trabalhadores da Cemig, em greve, o governador ressaltou que respeita a mobilização, mas que ela ocorria em local errado (em frente ao Palácio da Liberdade), uma vez que a empresa tem sede própria e autonomia para gerir a situação, não cabendo ao governo do Estado intervir.

A coletiva foi marcada para lançamento de um aplicativo, o APP MG, que promete melhorar o atendimento aos cidadãos em relação aos serviços prestados pelo governo de Minas Gerais.


Comments are closed.