Vereadores são presos em Centralina por “viagens fantasmas”

Operação é realizada nesta terça-feira (19), em Centralina (Foto: Leandro Moreira/G1)
Operação é realizada nesta terça-feira (19), em Centralina (Foto: Leandro Moreira/G1)

CENTRALINA, TRIÂNGULO MINEIRO – O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – Unidade Regional de Uberlândia (Gaeco) deflagrou, na manhã desta terça-feira (19), a Operação “Viagem Fantasma” na cidade de Centralina, no Triângulo Mineiro. O objetivo é dar cumprimento a mandados de busca e apreensão, bem como a mandados de prisão de três vereadores da cidade, cujos nomes ainda não foram informados.

Conforme nota à imprensa, o Gaeco investiga possíveis crimes praticados em Centralina, “dentre os quais o recebimento de diárias de viagens que na realidade nunca aconteceram, bem como o desvio de dinheiro público cometido por alguns vereadores e servidores da Câmara”.  A reportagem não conseguiu ouvir representantes da Câmara Municipal até a publicação desta matéria.

Ainda de acordo com a nota, nesta terça-feira foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão, inclusive nas instalações da Câmara Municipal de Centralina. Três mandados de prisão de vereadores investigados também foram cumpridos. Os materiais e os vereadores detidos serão encaminhados para Uberlândia. Os envolvidos devem responder por associação criminosa, peculato e lavagem de dinheiro, dentre outros.

A operação envolveu 40 policiais militares e 10 viaturas. O Gaeco, órgão integrante do Ministério Público de Minas Gerais, é destinado a investigação e ao enfrentamento do crime organizado.

LEIA O QUE JÁ FOI PUBLICADO SOBRE ESTE CASO

G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PM prende jovem de 22 anos com substância semelhante ao crack em Chaveslândia

Sem dinheiro para pagar servidores em dia Governo Mineiro irá gastar 100 milhões com propaganda