MINAS GERAIS – O repórter fotográfico Alex de Jesus, do jornal O Tempo, foi detido na manhã da última terça-feira (8/3), em Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte (MG). Acompanhado da repórter Débora Costa, a equipe apurava uma denúncia em uma unidade de saúde do município.

“No primeiro hospital em que fomos chegamos a conversar com a responsável, que disse que não iria falar e que não poderíamos fazer fotos ali. Então, saímos e fomos para a Policlínica continuar a apuração. O planejamento era de ir em outras unidades de saúde, mas tivemos que interromper o trabalho ali”, relatou o profissional ao Portal da imprensa.

Em nota, o sindicado dos Jornalistas de Minas Gerais se manifestou

Continua após a publicidade

“O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais manifesta seu repúdio ao cerceamento do trabalho dos jornalistas Alex de Jesus e Débora Costa, do jornal O Tempo, por guardas municipais de Nova Lima, na manhã desta terça-feira 8/3. Segundo relato dos profissionais, o fotógrafo foi impedido de fazer fotografias da Policlínica da cidade e a equipe foi conduzida coercitivamente por seis guardas municipais e dois policiais militares até a 2ª Delegacia de Polícia, onde foi liberada.

O Sindicato não admite esse tipo de restrição no trabalho profissional dos jornalistas. Repórteres não podem ser impedidos de ter acesso a locais públicos e fotografá-los. Servidores públicos, em especial policiais, que têm o monopólio de uso da força, devem ser treinados para respeitar a imprensa e a lei. A liberdade de imprensa é garantida pela Constituição e é uma das bases da democracia.

O Sindicato se solidariza com os colegas e exige que as autoridades responsáveis tomem providências para identificar e punir os culpados.

Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais”


Comments are closed.