Um ataque a uma empresa de transporte de valores no bairro São Bernardo, em Campinas (SP), levou pânico aos moradores vizinhos na madrugada desta segunda-feira (14) de março de 2016. Houve intensa troca de tiros na região da Protege. Parecia um cenário de guerra, segundo testemunhas.

Os ladrões teriam levado cerca de R$ 50 milhões da empresa, segundo estimativa não oficial obtida por uma equipe de Tv. Ninguém foi preso.

A empresa informou, por meio de nota, que está cooperando com as investigações policiais.

Continua após a publicidade

Fotos obtidas com exclusividade mostram o cofre arrombado, a destruição dentro do prédio e malotes de dinheiro que ficaram espalhados pelo chão da empresa.

A sede da empresa teve a fachada praticamente destruída e o telhado foi danificado. A quadrilha usou dinamites e armas de grosso calibre na ação. Os vidros de uma empresa localizada em frente à Protege foram todos quebrados. Câmeras de monitoramento localizadas próximo à Protege registraram o momento em que um carro dos criminosos para na rua e o bando dispara tiros de fuzis a esmo.

Antes da fuga, a quadrilha queimou dois caminhões em alças de acesso para a Rodovia Anhanguera (SP-330) para quem segue de Indaiatuba para Campinas. Segundo a polícia, a ação foi para impedir a perseguição.

Bala perdida invadiu quarto de criança

Morador e sua sobrinha, que estavam em um prédio vizinho à Protege, empresa de transporte de valores, quase foram atingidos por uma bala perdida. Os dois estavam no quarto e o tio ficou assustado ao ver a bala em cima da cama da criança.

Parecia um terremoto
Paulo Velasco, aposentado, de 59 anos contou que nunca tinha ouvido e visto tanto tiro. Ao falar de como se protegeu, se emocionou.

“Eu e minha esposa ficamos embaixo da cama. Ela tremia como vara verde e entrou em estado de desespero. A gente só pensa em abraçar quem está perto e sair vivo”, disse o aposentado.

Paulo sentiu as explosões dentro da casa que fica aproximadamente uns 500 metros da sede da empresa de transporte de valores. “Foram quatro explosões muito fortes, a casa da gente tremia como se fosse um terremoto”, contou Paulo Velasco.

A polícia fechou ainda a saída da Avenida Prestes Maia, que dá acesso para a SP-330 e a alça de acesso para a mesma rodovia no sentido interior.

Outro assalto
Em março do ano passado a mesma empresa foi atacada e os criminosos roubaram R$ 7 milhões.

Armados com fuzis, ladrões invadiram a empresa de transporte de valores Protege e roubaram milhões de reais que estavam em um dos carros-fortes na noite de  4 de março, em Campinas. Um segurança teve ferimentos leves. Ninguém foi preso.

De acordo com a Polícia Militar, os vigias contaram que pelo menos 10 homens participaram do assalto e levaram cerca de R$ 7 milhões.

Os ladrões chegaram em três carros por volta das 21h e pararam em frente à garagem da empresa, no bairro São Bernardo. Encapuzados e armados, eles alvejaram a fachada da companhia e, principalmente, a cabine onde estavam os vigias, que é blindada. As marcas dos disparos ficaram por todo o acesso.


Comments are closed.