CAPINÓPOLIS, TRIÂNGULO MINEIRO – O vereador capinopolense Jean Carlos, repudiou a atitude do ex-deputado e falido usineiro João Lyra em constituir empresa e abrir conta na Suíça pouco tempo após entrar com processo de recuperação judicial do Grupo João Lyra – O vereador utilizou a tribuna da Câmara Municipal de Capinópolis para seu pronunciamento na noite da última segunda-feira (04) de Abril de 2016.

A formalização da empresa ocorreu em 2009 e a conta bancária no banco suíço Pictet Asset Management foi aberta e mantida com recursos enviados do Brasil e não declarados à Receita Federal, conforme investigação da operação “Panamá Papers”. O processo de recuperação Judicial do Grupo JL deu entrada no final de 2008.

Continua após a publicidade

“Ele levou certa quantia [em dinheiro] para fora do país e deixou tantas pessoas na mão … Isso é uma lástima para nós, que estamos vendo a situação que nosso povo está”, disse o vereador que fez questão de relembrar o sofrimento das famílias, onde muitos arrimos, ficaram desempregados.

A cidade de Capinópolis, onde a usina sucroalcooleira “Vale do Paranaíba”, do antigo Grupo JL, está instalada, vive um momento econômico difícil, com fechamento de empresas e encerramento de postos de trabalho.

Chamam-se popularmente de offshores as contas bancárias e empresas abertas em paraísos fiscais, geralmente com o intuito de pagar-se menos impostos do que no país de origem dos seus proprietários. Há uma abertura legal para tal procedimento, porém, todas as transações devem ser declaradas e isso não ocorreu com João Lyra.


Comments are closed.