A deputada Raquel Muniz com seu marido, Ruy Muniz
A deputada Raquel Muniz com seu marido, Ruy Muniz

O prefeito de Montes Claros (norte de Minas Gerais), Ruy Muniz (PSB), foi preso preventivamente pela Polícia Federal nesta segunda-feira (18), um dia depois de sua mulher, a deputada Raquel Muniz (PSD), afirmar que seu marido “mostra que o Brasil tem jeito” ao votar pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Ele estava em Brasília, onde acompanhava a votação. Além dele, a PF também prendeu a secretária de Saúde do município, Ana Paula Nascimento.

Na noite deste domingo, Raquel Muniz disse em seu voto a favor da abertura de processo contra a presidente que tomava aquela decisão “para dizer que o Brasil tem jeito” e que “o prefeito de Montes Claros mostra isso para todos nós com sua gestão”.

Continua após a publicidade

“É pelo norte de Minas, é por Montes Claros, é por Minas Gerais, é pelo Brasil”, afirmou.

De acordo com as investigações da PF, o prefeito é suspeito de inviabilizar a existência e o funcionamento de hospitais públicos e filantrópicos que atendem pelo SUS ao deixar de prestar serviços pela rede municipal.

O objetivo, segundo a apuração, seria favorecer um hospital privado que pertenceria aos seus familiares e ao grupo econômico deles.

A operação foi nomeada “Máscara da Sanidade II – Sabotadores da Saúde”.

Muniz e Nascimento foram denunciados pelo Ministério Público Federal por suspeita de falsidade ideológica, dispensa indevida de licitação, estelionato, prevaricação e peculato.

OUTRO LADO

Em nota, a Prefeitura de Montes Claros afirmou que a decisão é “absurda” e que será revertida. Também informou que Ruy Muniz permanece no cargo e os órgãos da administração continuam funcionando normalmente.

“Ao cobrar profundas mudanças no sistema de saúde de Montes Claros, em defesa da população, o prefeito contrariou interesses e provocou forte perseguição política”, diz o comunicado.

Ano passado, a cidade fez campanhas institucionais contra a corrupção, com eventos sobre o tema e distribuição de panfletos nas escolas e em órgãos públicos.


Comments are closed.