27052016-algar

UBERLÂNDIA, TRIÂNGULO MINEIRO – A interrupção do serviço de telefonia fixa da Algar Telecom foi parar na Justiça – O Ministério Público Estadual ingressou com ação contra a operadora de telefonia na última quarta-feira (25) de Maio de 2016.

O serviço foi interrompido após incêndio no prédio da empresa, que fica instalada em Uberlândia (MG) no dia 15 de maio de 2016.

Continua após a publicidade

A Algar afirmou em nota que cerca de 93% dos telefones fixos afetados já foram restabelecidos. A Algar comunicou ainda que tem oferecido soluções para viabilizar a comunicação dos clientes, como desvio de chamadas para telefone móvel ou fixo.

Em Capinópolis, cidade que teve seu sistema de telefonia afetado, o sistema ainda não foi plenamente restabelecido. Em alguns casos, o telefone fixo efetua chamadas, mas a ligação não chega ao número discado, chamando em qualquer outro telefone fixo.

A alternativa utilizada por parte da população é o direcionamento das chamadas para um número celular. As chamadas originadas deste número móvel, não estão sendo tarifadas, mesmo em ligações interurbanas.

O promotor Fernando Martins esclarece no documento que o coordenador do setor jurídico da empresa compareceu ao MPE se negando a fazer um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), uma vez que manifestou que em 48 horas a situação estaria solucionada.

Pedidos
O promotor pede que a Justiça defira as tutelas provisórias de obrigação de fazer e não fazer determinando que a empresa preste continuidade e reativem os serviços a todos os consumidores ligados à Central 3232, que foi alvo do incidente, no prazo de 24 horas a partir da intimação, bem como que os consumidores tenham acesso ao sistema de telefonia ‘Siga-me’, sem qualquer custo adicional, possibilitando o acesso via telefone celular das chamadas realizadas para o terminal fixo inabilitado.

Também pede, entre outras coisas, o deferimento das tutelas definitivas dos itens acima citados; que a empresa seja condenada ao pagamento de danos materiais, extra patrimoniais e desvios produtivos aos consumidores habilitados no processo; pagamento de dano moral coletivo no valor de R$ 2 milhões; e que não efetue nenhuma cobrança enquanto os serviços não forem regularizados.

Nota
A Algar Telecom informa que, como consequência do trabalho intenso para recuperar por completo o serviço de telefonia fixa, restabeleceu, até esta quinta-feira (26), cerca de 93% dos telefones fixos afetados.

A empresa esclarece que ainda não recebeu a notificação do Ministério Público (MP). A companhia reforça que, desde o incidente, mantém contato constante com o  MP para informar da recuperação dos serviços. Além disto, todas as medidas para comunicar os clientes estão sendo tomadas seguindo, inclusive, recomendação do Ministério Público Estadual, em Uberlândia.

Vale ressaltar que a Algar Telecom tem oferecido soluções para viabilizar a comunicação aos clientes, como desvio de chamadas do telefone para um celular ou outro terminal fixo à preferência do usuário. Para programar, basta ligar para 0800 940 1890.

A companhia reafirma o compromisso de manter os clientes e comunidade informados do andamento da recuperação, por meio de seus canais de atendimento – redes sociais, chat no site e atendimento telefônico.

Com informações do G1


Comments are closed.