Juliana não teve chances de se defender (foto: Facebook/Reprodução)
Juliana não teve chances de se defender (foto: Facebook/Reprodução)

CONTAGEM, MINAS GERAIS – O assassinato de uma mulher na feira do Novo Riacho, na Praça Piau com Avenida Cantagalo, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, causou pânico e revolta nas pessoas que estavam no local, na tarde de domingo (29) de maio de 2016.

Juliane Fortini, de 35 anos, foi fuzilada por seu ex-companheiro, Valdeir da Silva Machado, de 40, por volta das 14h45, depois de uma discussão. O homem não aceitava a separação do casal.

De acordo com as informações iniciais da Polícia Militar, testemunhas contaram que o casal iniciou um bate-boca em meio à feira de artesanato e comida. Valdeir se ausentou do local por um instante, foi em seu carro, um Gol, pegou sua arma, retornou e, na abordagem à sua ex-companheira, disparou cinco tiros. A mulher, mãe de duas crianças, morreu no local.

Continua após a publicidade

Houve um princípio de pânico, com pessoas correndo para se proteger, em meio ao tiroteio. Militares do 39º Batalhão que faziam patrulhamento na feira seguiram em direção ao atirador, que foi interceptado antes que entrasse em seu veículo.

PMs, de armas em punho, determinaram que o acusado colocasse seu revólver sobre o capô do carro. Valdeir Machado foi retirado do local, em meio a revolta das pessoas. Ele foi levado para a 6ª Delegacia Distrital de Contagem.

EM


Comments are closed.