in

Quadrilha invade empresa de transporte de valores na Grande SP

Fachada da empresa de transportes de valores Protege, em Santo André, na Grande São Paulo
Fachada da empresa de transportes de valores Protege, em Santo André, na Grande São Paulo

Reportagem: MARTHA ALVES

Em uma ação cinematográfica, uma quadrilha roubou a empresa de transportes de valores Protege, no bairro Campestre, em Santo André (Grande São Paulo), na madrugada desta quarta-feira (17). A ação durou aproximadamente 40 minutos.

Moradores de prédios próximos à empresa ouviram barulho de fogos de artifícios por volta das 3h30. Em seguida, o barulho de tiros.

O corretor de imóveis Luiz Barros, 54, que mora há cerca de dois meses em um prédio em frente a empresa, disse que a quadrilha chegou em ao menos dez carros.

Segundo Barros, os criminosos pararam ao menos dois carros em cada esquina da rua dos Coqueiros para impedir a passagem de carros e a chegada da polícia. Enquanto outros membros da quadrilha posicionaram quatro carros em frente à empresa.

Os criminosos desembarcaram dos veículos e começaram a pegar metralhadoras dentro de uma van que foi estacionada na entrada da garagem do prédio. Eles dispararam vários tiros contra as guaritas e o portão principal da Protege.

“Eu ouvi a gritaria dos bandidos abre, abre”, falou o estudante Lucas Neves, que visitava os pais.

O estudante, que observava o roubo da sacada do apartamento, também viu os bandidos abordando um motorista na esquina. “Eles ameaçaram o motorista e gritaram vaza, vaza”, disse.

Após atirar contra o prédio da Protege, os ladrões usaram explosivos para abrir o portão, que veio abaixo. “Eu ouvi de quatro a seis explosões”, disse o corretor.

Com o impacto da explosão, um carro estacionado teve a frente danificada.

O estudante disse que viu a quadrilha recolher malotes. A PM não confirma ainda a informação do roubo de malotes nem de pessoas feridas. A reportagem viu uma pessoa sendo levada em uma maca, mas moradores disseram que era funcionário que passou mal de nervoso.

A perícia chegou às 6h20 à empresa, mas várias cápsulas deflagradas das armas dos ladrões já tinham sido recolhidas por moradores, durante a madrugada. Um policial do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) disse que as cápsulas deflagradas não interferem na investigação.

BLOQUEIOS

Na avenida dos Estados, próximo à avenida Juntas Provisórias, os criminosos cruzaram caminhões na pista para impedir a chegada da Polícia Militar.

Uma bombeira orientava os motorista a não prosseguirem viagem no sentido Santo André.

Um carro foi atravessado e incendiado na rua Presidente Wilson, na região do Ipiranga, no sentido São Caetano. Funcionários de empresas da região observavam à distância.

Um caminhão tanque também cruzado na avenida Antonio Dellamate, no sentido São Caetano. Policiais militares recomendavam aos motoristas não prosseguir viagem.

Folha de S.Paulo