7 de Setembro comemorado em Capinópolis

CAPINÓPOLIS, TRIÂNGULO MINEIRO – O “7 Setembro”, data registrada em comemoração à Independência do Brasil, foi comemorado em Capinópolis por autoridades, estudantes e cidadãos. O evento teve início por volta das 08h na Praça João Moreira de Souza e comemorou os 194 anos da independência do Brasil.

A Secretária de Educação e Cultura do Município de Capinópolis, Iracilda Duarte, deu início à cerimônia comemorativa, frisando a importância da independência para a Nação brasileira.

Ao som do Hino Nacional Brasileiro, orquestrado pela banda de música Santa Cecília, as bandeiras do Brasil, Minas Gerais e de Capinópolis foram hasteadas – A prefeita Dinair Isaac, o delegado Ronaldo Torres, Sargento PM Marcos Martins, o empresário Adão Gonçalves, o ex-presidente da 213ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil em Capinópolis, Janeir Parreira e o chefe dos escoteiros de Capinópolis, Vinícius Marcos, participaram do hasteamento de bandeiras.

Ouça o hino Nacional Brasileiro orquestrado pela banda de música Santa Cecília

Ronaldo Torres, que já foi delegado na Comarca de Capinópolis, fez um pronunciamento voltado para combate à corrupção no país.

A prefeita Dinair Isaac relembrou as dificuldades econômicas e políticas que o Brasil atravessa, mas salientou que há muito do que se orgulhar do Brasil – Dinair mencionou a pesquisa do instituto DataFolha e do jornal Folha de S.Paulo, publicada em Agosto, que cita Capinópolis e Canápolis com as cidades do Triângulo Mineiro com maior índice de eficiência na aplicação de recursos.

Alunos da rede municipal de ensino cantaram o Hino da Pátria.

A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

A Independência da Nação ocorreu às margens do Rio Ipiranga em 1822, após o príncipe Pedro I receber a notícia de que as Cortes Portuguesas tinham anulado todos os atos do gabinete de José Bonifácio, então ministro do reino, removendo o restante de poder que ele ainda detinha.

Dom Pedro I voltou-se aos seus companheiros, que incluiu sua guarda de Honra e disse – “Amigos, as Cortes Portuguesas querem escravizar-nos e perseguir-nos. A partir de hoje as nossas relações estão quebradas. Nenhum vínculo unir-nos mais” e continuou depois que ele arrancou a braçadeira azul e branca que simbolizava Portugal: “Tirem suas braçadeiras, soldados. Viva independência, à liberdade e à separação do Brasil.” Ele desembainhou sua espada afirmando que “Para o meu sangue, minha honra, meu Deus, eu juro dar ao Brasil a liberdade” e gritou: “Independência ou morte”. Este evento é lembrado como “Grito do Ipiranga”.

One Comment

comente e responda
  1. BELA FESTIVIDADE, REPLETA DE DE CIDADÕES, PARESSE QUE O POVO TA COMEÇANDO A LARGAR DE SER TAO POBRE DE ESPIRITO, MAS ANTES TARDE DO QUE NUNCA ……..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Na “geladeira” há tempos, Chris Flores pede demissão e deixa Record após 11 anos

Homem é espancado em Uberlândia, grita por socorro e agressores fogem