Acredita-se que desde que os homens começaram a tecer, já reutilizavam os retalhos para confeccionar diversas peças. A tradução literal de patchwork é “trabalho com retalho”, usando uma técnica que unem tecidos com uma infinidade de formatos variados.

A procura pelo curso de Patchwork – Montagem de Enxoval em Capinópolis já vinha há meses e o Sindicato dos Produtores Rurais em parceria com o Senar Minas veio trazer a oportunidade às costureiras da cidade.

No curso de artesanato em tecidos / Patchwork do Senar Minas, é preciso ter conhecimento em costura. A técnica aprimora o trabalho que as costureiras já fazem, e traz mais conhecimento, refinamento das peças e agilidade no processo de feitio.

Continua após a publicidade

Durante a semana de curso (40h) foi trabalhado o feitio de uma fronha com barrado, toalha com barrado seminole e aplicação de viés e outros acessórios para agregar beleza e valor ao que está sendo produzido.

“As participantes aperfeiçoam a forma de trabalhar os tecidos e com isso, ganham tempo e agilidade na costura, além de agregar valor à peça que é produzida, devido à qualidade e capricho exigidos na confecção. A diferença, por exemplo, de um tapete feito pela vovó com outro que tem a técnica do patchwork é a precisão e a qualidade, que dá um diferencial na peça.”, explica Mirian Gonçalves Arruda, instrutora do Senar Minas.

Miriam também destacou sobre a forma de colocar preço no produto. Segundo ela, vai depender do material utilizado na produção da peça e no caso dos retalhos serem reaproveitados é possível cobrar mais barato, mas quando é preciso comprar o tecido tudo deve ser colocado em conta.

Além de agregar valor ao que é produzido, a capacitação é um resgate do trabalho feito por nossas mães, avós e bisavós.

“Durante o curso eu vejo a satisfação das participantes, relembrando o que seus familiares faziam. Aprendendo, as alunas melhoram a estima e percebo que elas se sentem muito bem em saber que estão criando as próprias peças. Além disso, tem o aprendizado a custo zero e este é mais um benefício que o Senar como entidade proporciona a seus participantes.”, destaca a instrutora Miriam.

Em 30 anos de costura nunca fez peças com retalhos e o desejo antigo se realizou.

“Eu tinha vontade de fazer o curso e aprender a juntar os retalhos. Com o patchwork aprendi a fazer as peças com técnica. Descobri que é preciso fazer um gráfico, tirar as medidas e como costureira, ganhei novos conhecimentos que vou colocar em prática e ter uma renda extra!”, comentou Beatriz Salvino, costureira.

Já a artesã que trabalha com a produção especial para crianças encontrou na capacitação uma forma de agregar mais técnica ao que produz.

“Como personalizo enxovais para recém nascidos, eu quis acrescentar no meu currículo profissional este curso e com isso utilizar, por exemplo, os barrados nas fraldas utilizando a técnica. Percebo que as pessoas gostam da técnica e será bom para o meu negócio, além do mais a capacitação é maravilha, adorei!”, afirmou a artesã Aline Aparecida Silva de Faria.

“Era meu sonho fazer este curso. Eu sempre tentei e sentia uma dificuldade danada em confeccionar as peças de Patchwork e, com a instrutora tudo ficou muito fácil. Mudou a minha vida, melhorou a estima e penso, seriamente, em transformar esta na minha nova profissão.”, completa Mara Lúcia de Almeida, dona de casa e musicista.


Comments are closed.