A doação foi autorizada por familiares de um paciente de 18 anos, natural de Frutal (MG), vítima de acidente de moto e com morte encefálica confirmada
A doação foi autorizada por familiares de um paciente de 18 anos, natural de Frutal (MG), vítima de acidente de moto e com morte encefálica confirmada

Na tarde de ontem, doação múltipla de órgãos mobilizou equipes dos bombeiros e Samu, que disponibilizaram batedores para acelerar o transporte até o aeroporto “Mário de Almeida Franco”. Entre os órgãos doados por familiares de vítima de acidente de moto estão coração e fígado, que foram enviados, em recipientes especiais, a um hospital de Belo Horizonte.

De acordo com informações da assessoria de imprensa do Hospital de Clínicas da UFTM, na manhã de ontem foram captados duas córneas, dois rins, um fígado e um coração. A doação foi autorizada por familiares de um paciente de 18 anos, natural de Frutal (MG), vítima de acidente de moto e com morte encefálica confirmada.

Em nota, a assessoria do hospital informou que “as córneas e os rins foram disponibilizados à Regional de Uberlândia do MG Transplantes, a fim de ser destinados a pacientes do Triângulo Mineiro. O coração e o fígado, por sua vez, seguiram para o Hospital Felício Rocho, de Belo Horizonte. Para agilizar o trajeto até o aeroporto de Uberaba, onde um avião do governo do Estado de Minas Gerais aguardava para transportar os órgãos, o HC/UFTM contou com comboio de batedores do Corpo de Bombeiros, abrindo caminho no trânsito para passagem de um carro da UFTM e outro do MG Transplantes”.

Continua após a publicidade

Ainda conforme a nota, “o fígado e o coração foram acondicionados em caixas especiais, na temperatura entre 2ºC e 8ºC, imersos em líquido de conservação. De acordo com Ilídio Antunes de Oliveira Júnior, coordenador da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIH/DOTT), do HC/UFTM, a celeridade no transporte é essencial para favorecer o procedimento”. “Como o doador era muito jovem e saudável, as chances de os transplantes serem bem-sucedidos são grandes. Entretanto, deve-se observar um prazo de no máximo seis horas entre a captação e o procedimento”, explica Oliveira Júnior.

O coordenador da CIH/DOTT destaca a importância da conscientização sobre o tema. “Autorizar a doação é um gesto de altruísmo que pode interromper o sofrimento de pessoas que há anos esperam por um órgão. É uma atitude que salva vidas. O exemplo dessa família, que num momento de dor autorizou a doação múltipla e beneficiará outras seis pessoas, deve servir de exemplo para todos nós”, enfatiza.


Comments are closed.