(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A. Press)
(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A. Press)

Um inquérito foi aberto pela Polícia Civil para investigar a morte de um 2º tenente reformado da Polícia Militar (PM) no quarto de um hotel no Centro de Belo Horizonte. O homem foi encontrado decapitado após uma explosão de fogos de artifício em um dos cômodos do Hotel Madrid. As causas ainda estão sendo apuradas. Uma das hipóteses levantadas por policiais militares é de suicídio.

A ocorrência aconteceu por volta das 9h da última quinta-feira (22) – O barulho da explosão assustou pessoas que passavam por ruas próximas ao hotel. “Eu estava aqui deitado na praça, quando ouvi o barulho muito alto e fumaça saindo do hotel, saí correndo”, narrou o morador de rua, Luiz Coelho, de 52 anos. A outra testemunha, Roberto Mauro, de 43 anos, contou que todos que passavam no entorno do hotel também saíram correndo.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o estrondo assustou funcionários e hóspedes. Ainda de acordo com os militares, a recepcionista ouviu um barulho forte e subiu até o quarto. Ao chamar o hóspede, ele não respondeu. Curiosos que transitam pelo local cercaram o estabelecimento.

Continua após a publicidade

O Corpo de Bombeiros chegou rapidamente ao local e tomou as primeiras providências, mas o hóspede morreu na hora. “A gente foi acionado por risco de explosão e princípio de incêndio, mas o pessoal não soube nos informar o que era exatamente. Então, a viatura verificou que o incêndio realmente não existia por conta da fumaça que não estava transparecendo. O risco de explosão era visível por causa do cheiro de pólvora que existia no local. A primeira ação do Corpo de Bombeiros foi adentrar ao quarto e fazer a ventilação. Abrimos a janela e deixamos o ventilador acionado”, explicou o Tenente Magalhães, comandante do dia do pelotão responsável pela área.

Dentro do quarto, os militares encontraram o corpo da vítima desfigurado. “Infelizmente foi uma cena de óbito. O rapaz estava manuseando fogos de artifício e eles vieram a explodir. Nós isolamos o local para que o Samu pudesse constatar o óbito. A cabeça veio explodir em partes, e não foi possível identificar”, disse.

Policiais militares que estavam na região, levantaram a hipótese de suicídio, mas, para o tenente, ainda é cedo para concluir o caso. “Foram encontrados fogos de artifício próximo a região da mão dele. O que a gente acredita é que possa ser simplesmente uma situação de manuseio. Essa hipótese de autoextermínio não podemos afirmar, porque o perito está fazendo os trabalhos dele. Posteriormente a análise dele teremos a conclusão”, completou Magalhães.

A Polícia Civil fez uma perícia no local do crime. Porém, o laudo deve sair somente dentro de 30 dias. A análise vai determinar se foi suicídio ou homicídio. Há suspeita que tenha sido suicídio, segundo a assessoria de imprensa da corporação. O corpo da vítima foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML).

Fonte: EM


Comments are closed.