Foram detectados 206 casos da doença em Minas Gerais, segundo SES-MG (Foto: Reprodução/TV Globo)
Foram detectados 206 casos da doença em Minas Gerais, segundo SES-MG (Foto: Reprodução/TV Globo)

Depois de Minas Gerais decretar situação de emergência em áreas com surto de febre amarela, a procura pela vacina nas cidades do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba aumentaram significativamente. Segundo as secretarias de Saúde de Uberlândia, Uberaba, Araxá e Patos de Minas, nas cidades não houve casos da doença e reforçam que não há campanha, somente vacinação de rotina.

Uberlândia

A coordenadora do Programa de Imunização da cidade, Cláudia Oliveira, afirma que a quantidade de atendimentos dobrou, mas nem todos que chegam precisam se vacinar. Além disso, ela reforçou que não é campanha, mas vacinação de rotina.

Continua após a publicidade

Uberlândia não é considerada região de surto, por isto estamos com rotina de vacinação. A procura cresceu por causa da preocupação, mas estamos vacinando de acordo com que era preconizado nos anos anteriores, ou seja, não houve nenhuma alteração”, disse.

A Superintendência Regional de Saúde de Uberlândia disse que recebeu mais de 12 mil vacinas na última terça-feira (17) para atender 18 municípios da região e que não foi necessário solicitação extra de doses. Além disso, a superintendência informou que não há notificação de casos de febre amarela na região.

Uberaba

Em Uberaba, a situação não é diferente. Postos de saúde lotados e com filas nos dias de vacinação, principalmente no Centro de Saúde Eurico Vilela, no Bairro Fabrício. A imunização em Uberaba está sendo oferecida às terças e quintas, para não haver desperdício da vacina, que tem vida útil de 6h após ser aberta. Nesta quinta-feira (19), chegaram mais 5 mil doses, que já foram distribuídas para as unidades de saúde. Outro lote já foi solicitado à Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG).

A Secretaria Municipal de Saúde ressalta que não existe nenhum caso positivo para febre amarela há mais de 10 anos no município. “Como Uberaba é uma cidade que não apresentou nenhum registro da doença, o Estado libera de acordo com a demanda e regiões de maior risco”, afirmou o diretor do Departamento de Epidemiologia e Informação, Robert Boaventura.

Devido ao grande número de pessoas procurando a vacina, a secretaria alterou a data em que os postos de saúde farão a vacinação da BCG. No período de 23 de janeiro a 3 de março, as mães que tiverem que vacinar os recém-nascidos contra a tuberculose, deverão procurar os postos de saúde às quartas e sextas-feiras. Antes, a vacina era oferecida às terças e quintas.

Araxá

Nesta quarta-feira (18), a Secretaria de Saúde de Araxá, no Alto Paranaíba, informou que o estoque de vacinas contra a febre amarela acabou (veja o vídeo). As filas no Centro de Vacinação e Unidades de Saúde da cidade triplicaram nos últimos dias em busca da imunização contra a febre amarela.

“Temos doses da vacina contra a febre amarela regularmente por ser uma imunização de rotina, mas devido aos casos nas cidades vizinhas a procura triplicou. Recebemos em média 800 doses por mês, mas o estoque que a gente tinha encerrou na terça-feira. Imediatamente pedimos uma reposição para a nossa Regional que fica em Uberaba e, não foi reabastecido, anteriormente, porque lá também já tinha terminado. Então, o pedido foi para a SES-MG que está nos enviando as vacinas. A previsão é chegar a Araxá mil doses de vacina contra febre amarela”, afirmou a enfermeira Renata Lima, do Setor de Imunologia.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Alonso Garcia de Rezende, as doses chegaram à cidade nesta quinta-feira (19) e serão distribuídas nas unidades de saúde a partir de sexta-feira (20). “Não é motivo ainda de grande alarme, em função de que ainda não tivemos nenhum caso suspeito da doença em nossa região. A prioridade dessas vacinas é para pessoas que forem viajar para áreas de risco, como o Leste de Minas. Quem reside em áreas rurais também são prioritários”.

As vacinas ficam disponíveis das 8h às 12h nos postos. Na unidade de vacinação central, até as 16h. “É preciso levar o cartão de vacinas. Se o tiver perdido, é preciso levar um documento. Pessoas que tomaram essa vacina por duas vezes na vida já podem ser consideradas como imunizadas. Amanhã teremos duas equipes de prontidão para atender à população”, disse o secretário.

As vacinas devem estar disponíveis a partir desta sexta-feira (20). “Esta semana, a previsão é reabrir o atendimento ao público na sexta-feira, com a vacinação normalmente. Assim que recebemos esse novo estoque, vamos fazer a separação dessas doses, de modo que as unidades de saúde, a Uninorte, a Unileste, a Unisa, a Uninordeste e a Unisul possam disponibilizar a imunização”, acrescentou Renata.

Pontos e horários de vacinação em Araxá:
– Centro de Vacinação: 8h às 16h30
– Unileste, Unisul e Uninorte: 7h às 12h
– Uninordeste: 7h30 às 12h30
– Unisa: 11h às 17h

Patos de Minas

Também sem registros da doença na cidade, o foco da Secretaria de Saúde de Patos de Minas foi orientar a população para procurar os postos apenas em casos de viagem e com antecedência superior a 10 dias. Contudo, a procura pela imunização no município também triplicou, segundo a servidora da diretoria de Vigilância Epidemiológica, Lilian Alves. Muita gente tem procurado os postos, muitas vezes sem a necessidade da vacina.

Os postos de saúde de Patos de Minas trabalham com a quantidade de rotina enviada pela SES-MG, que é de 3.800 doses por mês. “Na rotina, utilizamos, em média, 2 mil. Agora, com esta preocupação, as pessoas estão procurando muito e com vai chegar num ponto que vai faltar em todas as unidades de saúde. Desta quarta-feira (18) até a próxima segunda, a maioria dos postos já está sem. Estamos tentando tranquilizar a população porque a cidade não é área de risco”,

Lilian também disse que, na próxima segunda (23), a previsão é que chegue a cota mensal de 3.800, que é o que vai ser usado até o dia 23 de fevereiro. As vacinas são oferecidas em todas as unidades de saúde, que funcionam das 8h às 16h.

Vacinação

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera que apenas uma dose de vacina é suficiente para a vida inteira, mas o protocolo nacional prevê duas doses, com intervalo máximo de 10 anos.
Se a caderneta infantil for seguida à risca, a primeira dose deve ser administrada até os 9 meses de vida, e a segunda, até 5 anos completos. Se faltar uma dessas doses, é preciso “corrigir” a vacinação.

Casos em MG

De acordo com a SES-MG, até esta quarta (18), foram notificados 206 casos suspeitos de febre amarela, sendo que desses 53 são casos prováveis, cujos pacientes apresentaram quadro clínico suspeito e exame laboratorial preliminar reagente.
Também nesta quarta, o Ministério da Saúde confirmou a morte de oito pessoas em decorrência da febre amarela em Minas Gerais. Segundo a pasta, exames nas amostras de sangue desses pacientes detectaram a presença do vírus.


Comments are closed.