CAPINÓPOLIS, TRIÂNGULO MINEIRO – O Carnaval começa hoje e muita gente aproveita essa época para  curtir e namorar. A assistente social da Secretaria Municipal de Saúde Capinópolis faz um alerta sobre o grande número de pessoas portadoras do vírus HIV. “Está sendo uma preocupação muito grande, porque comparando com nove cidades da região, Capinópolis está em terceiro lugar com o maior número de casos, sendo que a primeira da região seria Ituiutaba, que em proporção de população é muito maior, só que a nossa preocupação, que a gente vê, que a população que conhecer uns aos outros, eles estão sim deixando de se proteger, confiando muito ainda na aparência um do outro. O que tem acontecido com isso é que os nossos índices começaram a subir novamente.”

Pergunta: E quantos casos nós temos atualmente?

Isabela: 42 casos diagnosticados desde 1983. Os pacientes que estão diagnosticados aparentemente estão bem, estão se tratando adequadamente, mas a questão é que outras doenças que são sexualmente transmissíveis começaram a aparecer, como a sífilis, que está com um índice muito grande, com várias pessoas sendo diagnosticadas por mês, então a gente vê que realmente a população deixou de usar a forma de prevenção, que seria o preservativo.

Continua após a publicidade

Pergunta: E neste Carnaval qual é a sua orientação. A prefeitura, através da Secretaria Municipal de Saúde, vai ofertar camisinhas. O que você tem a dizer à população que vai “literalmente” querer se divertir?

Isabela: Não deixar de se cuidar. Vai ser ofertada uma grande quantidade de camisinhas, inclusive, que vão ficar na Barraca da Saúde. A pessoa não precisa ficar com vergonha. Ela tem que ficar com vergonha é de depois ter que procurar a assistência médica por falta de precaução. Então, se rolar, use a camisinha, porque é a única forma que tem hoje em dia de prevenção.

Pergunta: E para as meninas que dizem que usar camisinha dói e causa incômodo, o que você tem a dizer?

Isabela: Ou você usa numa forma de prevenção ou você lida com uma doença que vai mudar o resto da sua vida.

Pergunta: O que a AIDS e a DST causam na vida de um paciente?

Isabela: Infelizmente, o preconceito ainda é muito grande, as pessoas ficam muito excluídas, mesmo que se consiga prolongar o tempo de vida da pessoa, a pessoa viver normalmente, o preconceito que ela vai sofrer na sociedade, infelizmente isso aí é que as debilitam ainda mais.

Pergunta: Em relação aos testes de HIV, o município disponibiliza gratuitamente?

Isabela: A gente até ampliou o acesso da população. Antigamente ficava só num dia da semana, agora qualquer pessoa que tenha interesse é só procurar a unidade de saúde, conversar com a enfermeira, que vai preencher uma ficha e já vai encaminhar para o Laboratório imediatamente para a pessoa fazer, tudo gratuitamente e de forma sigilosa, porque normalmente só eu e a enfermeira da unidade temos conhecimento dos casos.

Pergunta: Se o resultado for positivo, depois são dados os devidos procedimentos?

Isabela: Toda a assistência que for necessária é dada ao paciente.

Pergunta: Até a parte de medicamentos?

Isabela: Com certeza, e como a medicação é distribuída em Ituiutaba, fica até difícil alguém daqui tomar conhecimento a respeito do diagnóstico, em razão do tratamento nem ser feito aqui, mas em outra cidade.

Pergunta: Qual o seu recado final a quem for participar do Carnaval, para que o faça com segurança?

Isabela: Pule, divirta-se, descanse, mas com responsabilidade, não esquecendo nunca de se prevenir contra doenças.

Conforme apurado pelo Tudo Em dia, muitos casos de Aids de pessoas de Capinópolis estão registrados em Ituiutaba, para evitar a exposição.


Comments are closed.