Petrobras fez contrato milionário com grupo João Lyra por intermédio do ex-presidente Collor

Atualizado às 12h57m de 25/04/2017 – Informações acrescentadas [*]

 Foto: Ailton de Freitas/Agência O Globo
Foto: Ailton de Freitas/Agência O Globo

O ex-presidente e atual Senador da República, Fernando Collor, interviu para que um contrato milionário entre a BR Distribuidora e a Laginha Agroindustrial S/A., fosse firmado. Além do contrato no valor de R$5 milhões, uma linha de crédito no valor de R$2 milhões foi liberada ao grupo JL, de propriedade do falido usineiro João Lyra.

A informação é da delação premiada do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró.

Segundo investigação da Polícia Federal, a Laginha Agroindustrial passava por dificuldades financeiras em 2010 em decorrência de desastres naturais à época. Apesar disso, aponta o relatório da PF, o cenário de declínio financeiro não foi obstáculo para a realização de contratos sem a exigência de garantia compatível, o que gerou um dano ao Erário de aproximadamente R$ 9 milhões.

Há suspeitas de que um repasse de R$ 300 mil feito pela Laginha Agro Industrial à Gazeta de Alagoas, jornal da família de Collor, seja propina ao senador.

No próximo dia 28 de Abril, uma audiência para análise de propostas de compra das usinas do grupo João Lyra instaladas no Pontal do Triângulo Mineiro está agendada. Os filhos do usineiro João Lyra – Maria de Lourdes Pereira de Lyra e Guilherme José Pereira de Lyra – tentam adiar a audiência mais uma vez, solicitando uma nova avaliação patrimonial. (veja) 

O sindicato dos trabalhadores Rurais da cidade de Capinópolis, no Pontal do Triângulo Mineiro, tenta manter a abertura das propostas.

Infelizmente manifestações por parte de pessoas (filhos do falido) que não possuem legitimidade, o que já foi inclusive expressamente comprovado e pedido tanto pelo ministério público, quanto pelo falido e pela própria massa falida, impediram que a alienação acontecesse“, afirma trecho do documento.

“O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Capinópolis entrou com petição pedindo a manutenção dos ritos já determinados pela justiça para abertura dos envelopes”, disse o presidente do sindicato, Alan Cunha Santana. (veja a petição).

[*] Na tarde desta terça-feira (25), o juiz Phillippe Melo Alcântara Falcão, da Comarca de Coruripe (AL), indeferiu o pedido de adiamento protocolado pelos filhos do usineiro João Lyra. (veja)

O Tudo Em Dia tentou contato com a assessoria do ex-presidente Fernando Collor, mas não obteve resposta até o encerramento desta edição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Equipe de Saúde visita zona rural em Ipiaçu

Jornal antecipou resultado de vencedora de licitação de publicidade do Banco do Brasil