MINAS GERAIS – Ex-prefeitos da região foram flagrados por câmeras escondidas tentando receber valores originados de propina. O Tudo Em Dia teve acesso às imagens que mostram o ex-prefeito de Carmo do Paranaíba, Marcos Aurélio Costa Lagares (DEM), negociando com o escritório o acerto de R$ 3.500 e o ex-prefeito de Presidente Olegário, Antônio Claudio Godinho do PMDB, conhecido como “Palito”, acertando com o advogado o valor que vai receber de propina, 20% dos honorários por contratos feitos pela Prefeitura com o escritório de advocacia.

Os ex-prefeitos foram investigados durante a Operação “Isonomia”, desencadeada na terça-feira (23) contra crimes de corrupção ativa e passiva, além de tráfico de influência e lavagem de dinheiro – na operação, o ex-prefeito de Canápolis, Diógnes Borges, também foi preso.

Sete prefeituras de região estão sendo investigadas suposta contratação irregular de um escritório de advocacia instalado em Uberlândia. A prestação de serviços seria a compensação de créditos tributários.

Continua após a publicidade

Políticos de várias cidades estão envolvidos. Confira abaixo os vídeos e os posicionamentos.

Carmo do Paranaíba

Naquela época, enquanto prefeito, Marcos Aurélio havia acertado que receberia 20% do valor pago pelo Administrativo. Conforme informou o promotor Daniel Marota, no período da negociação, duas parcelas totalizando R$ 21.443 ainda não haviam sido pagas e a transação foi realizada em 2017. Quando soube do pagamento, o ex-prefeito se dirigiu até o escritório e pediu a propina de R$ 3.500.

Presidente Olegário

Outro vídeo mostra o ex-prefeito de Presidente Olegário, Antônio Claudio Godinho do PMDB, conhecido como “Palito”, acertando com o advogado o valor que vai receber de propina, 20% dos honorários por contratos feitos pela Prefeitura com o escritório de advocacia.

Na terça-feira (23), o MPE cumpriu mandados de busca de apreensão na casa de Antônio Claudio.

Além de Carmo do Paranaíba e Presidente Olegário as cidades de Abadia dos Dourados, Canápolis, Centralina, Patrocínio e Perdizes também estão envolvidas na investigação.

Prefeito de Perdizes, Fernando Marangoni, pediu renúncia no mesmo dia em que foi preso (Foto: Reprodução/TV Integração)

Na última quarta-feira (24), o prefeito de Perdizes (MG), Fernando Marangoni, renunciou ao cargo. Foi esclarecido que o departamento jurídico da Prefeitura está providenciando os trâmites legais para que o vice-prefeito, Vinícius Barreto, seja empossado.


Comments are closed.