Delegado Adriano Soares, que investigou morte de Teori Zavascki, é morto a tiros

Morte do ministro Teori Zavascki era investigada pelo delegado assassinado (foto: Arquivo/Correio Braziliense)

Dois delegados federais morreram e uma pessoa ficou ferida na madrugada desta quarta-feira em Florianópolis. De acordo com informações da Polícia Federal, Elias Escobar, 60 anos, e Adriano Antônio Soares, 47, estavam dentro de uma casa noturna no bairro Estreito, área continental da cidade, quando houve um desentendimento e os tiros foram disparados.

Adriano Antônio Soares, que chefiava a Polícia Federal em Angra dos Reis (RJ), investigou, em janeiro passado, a morte do ministro Teori Zavascki,  responsável no Supremo Tribunal Federal (STF) pela Lava-jato. O inquérito agora está em Brasília, presidido por outro delegado.

 Eles se encontravam em uma casa noturna, no bairro Estreito, que fica na área continental da capital catarinense, e não estavam a serviço.

Um comerciante, apontado como o responsável pelas mortes, também foi ferido a balas e está internado em um hospital da cidade. Ele teria se envolvido em um desentendimento com os policiais federais, que resultou em tiroteio, por volta de 2h da manhã.

Nilton Cesar Souza Junior, 36 anos, um comerciante da região, foi levado para a unidade por um amigo. O delegado que morreu no hospital foi conduzido para o hospital por um taxista.

Há informações de que outras duas pessoas entraram na confusão. Ninguém foi preso até o momento. A Polícia Federal lamentou as mortes em nota oficial e vai ajudar a Polícia Civil de Santa Catarina na investigação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Crueldade – Homem arranca patas de cachorro por se incomodar com latidos

Bandido é atingido com tiro após caminhoneiro tomar arma durante assalto