Morte do ministro Teori Zavascki era investigada pelo delegado assassinado (foto: Arquivo/Correio Braziliense)

Dois delegados federais morreram e uma pessoa ficou ferida na madrugada desta quarta-feira em Florianópolis. De acordo com informações da Polícia Federal, Elias Escobar, 60 anos, e Adriano Antônio Soares, 47, estavam dentro de uma casa noturna no bairro Estreito, área continental da cidade, quando houve um desentendimento e os tiros foram disparados.

Adriano Antônio Soares, que chefiava a Polícia Federal em Angra dos Reis (RJ), investigou, em janeiro passado, a morte do ministro Teori Zavascki,  responsável no Supremo Tribunal Federal (STF) pela Lava-jato. O inquérito agora está em Brasília, presidido por outro delegado.

 Eles se encontravam em uma casa noturna, no bairro Estreito, que fica na área continental da capital catarinense, e não estavam a serviço.

Um comerciante, apontado como o responsável pelas mortes, também foi ferido a balas e está internado em um hospital da cidade. Ele teria se envolvido em um desentendimento com os policiais federais, que resultou em tiroteio, por volta de 2h da manhã.

Continua após a publicidade

Nilton Cesar Souza Junior, 36 anos, um comerciante da região, foi levado para a unidade por um amigo. O delegado que morreu no hospital foi conduzido para o hospital por um taxista.

Há informações de que outras duas pessoas entraram na confusão. Ninguém foi preso até o momento. A Polícia Federal lamentou as mortes em nota oficial e vai ajudar a Polícia Civil de Santa Catarina na investigação.


Comments are closed.