O cantor, compositor e radialista Barros de Alencar morreu na madrugada desta segunda-feira (05), aos 84 anos no interior de São Paulo.

Barros estava internado em um hospital no bairro da Mooca, em São Paulo. Segundo post feito por Virgínia Barros, irmã do radialista, no Facebook, o enterro acontece às 13h30, no cemitério Primavera em Guarulhos, Grande São Paulo.

Pela manhã, o radialista Kaká Siqueira, locutor da Tropical FM 107,9 – SP, afirmou que Barros entrou em coma no domingo (04). “Ele estava com o coração bem fraquinho”, afirmou Kaká, que relembrou ainda o período em que o amigo passou por problemas nas cordas vocais e precisou passar por uma cirurgia.

Continua após a publicidade

Cristóvão Barros de Alencar nasceu na Paraíba e iniciou sua carreira como radialista em Campina Grande, na Rádio Borborema. Na década de 1960, passou também pelas rádios Tupi, Record e América. Em 1966, lançou seu primeiro disco. Entre seus projetos musicais, gravou em 1975 uma versão em português de “Emmanuelle”, trilha do famoso filme homônimo da época. Ao longo dos anos, intercalou a carreira musical com seu reconhecido trabalho nas rádios.


Comments are closed.