Um levantamento sobre a violência no Brasil, feito pelo Instituto de Pesquisa Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, aponta o mapa da violência nas regiões brasileiras.

Os dados são assustadores e mostram que a violência no Brasil mata mais que todos os atentados terroristas do mundo nos cinco primeiros meses de 2017 – as mortes causas pelos atentados não superam o número médio de homicídios registrado no Brasil em três semanas de 2015.

Durante a apresentação do estudo, conduzido pelo Ipea, o pesquisador Daniel Cerqueira apontou a prevalência do número de armas de fogo nos casos de homicídio.

Continua após a publicidade

Segundo o levantamento, que leva em consideração os dados de 2015, as duas regiões metropolitanas do estado de Minas Gerais reúnem sete das 10 cidades mais violentas em território mineiro. Os maiores índices de assassinatos e mortes violentas ficam com Betim (taxa de 65,2 óbitos para cada 100 mil habitantes), Vespasiano (56,5) e Sabará (54,3).

No Triângulo Mineiro, Uberaba é a cidade mais violeta com (32,9) – ocupando a 13ª posição do Estado – Uberlândia fica na 21ª posição no ranking de violência com (23,7), acompanhada de perto por Ituiutaba, com índice de (21,3) ocupando a 23ª posição. O levantamento leva em consideração os municípios com mais de 100 mil habitantes. Os dados do IPEA podem ajudar o poder público a direcionar de forma mais eficiente os recursos na área de segurança pública. No topo da lista das mais violentas no país está Altamira (PA), com taxa de 107 mortes. Já a mais pacífica é a catarinense Jaguará do Sul, com 3,7. Em Minas, a mais pacífica é Araxá (6,8), que ocupou o quinto lugar nesse quesito no ranking nacional.

Veja o ranking das cidades mais pacíficas no Brasil:

1º – Jaraguá do Sul (Santa Catarina), com taxa de 3,7 homicídios por 100 mil habitantes

2º – Brusque (Santa Catarina), com taxa de 4,1

3º – Americana (São Paulo), com taxa de 4,8

4º – Jaú (São Paulo), com taxa de 6,3

5º – Araxá (Minas Gerais), com taxa de 6,8

6º – Botucatu (São Paulo), com taxa de 7,2

7º – Bragança Paulista (São Paulo), com taxa de 7,5

8º – Jundiaí (São Paulo), com taxa de 7,7

9º – Conselheiro Lafaiete (Minas Gerais), com taxa de 8,0

10º – Teresópolis (Rio de Janeiro), com taxa de 8,1

A Secretaria de Estado de Segurança Pública de Minas Gerais (Sesp-MG) informou, em maio passado, que o número de vítimas de homicídios consumados caiu 4,26% no estado no comparativo entre o primeiro quadrimestre e 2016 (1.480) e o mesmo intervalo de 2017 (1.417).