Anitta critica projeto de lei que define o funk como 'crime de saúde pública'
Anitta critica projeto de lei que define o funk como ‘crime de saúde pública’

A cantora Anitta, na sexta-feira (9), criticou no Twitter uma proposta de lei que criminaliza o funk e foi enviada ao Senado com mais de 20 mil assinaturas.

Proposta pelo paulista Marcelo Alonsa, a ideia legislativa considera o gênero musical como um “crime de saúde pública desta ‘falsa cultura’ denominada ‘funk'”.

Além disso, a proposta julga os bailes funks como “recrutamento organizado nas redes sociais por e para atender criminosos, estupradores e pedófilos a prática de crime contra a criança e o menor adolescentes ao uso, venda e consumo de álcool e drogas, agenciamento, orgia e exploração sexual, estupro e sexo grupal entre crianças e adolescente, pornografia, pedofilia, arruaça, sequestro, roubo e etc. (sic)

Continua após a publicidade

Com mais de 4 milhões de seguidores no Twitter, Anitta escreveu aos “22 mil desinformados que estão precisando sair do conforto de seus lares para conhecer um pouquinho mais do nosso país”.

Além disso, ela afirma que o funk “gera trabalho, gera renda”. Para aqueles que assinaram a proposta, ela pede para visitarem as áreas “menos nobres do nosso país e vocês descobririam isso rápido”.

FolhaPress / licenciado pelo Tudo Em Dia


Comments are closed.